Microsoft registra mouse dobrável em nova patente

1 min de leitura
Imagem de: Microsoft registra mouse dobrável em nova patente
Imagem: Microsoft
Avatar do autor

O site alemão Windows United encontrou um registro de patente da Microsoft que pode evoluir para um produto no futuro. Trata-se de um registro de propriedade intelectual sobre um mouse dobrável, com uma tecnologia que lembra a atualmente utilizada em smartphones.

O "mouse dobrável" da Microsoft seria utilizado em computadores e tem um "corpo deformável" formado por duas metades distintas. A superior é a que concentra a superfície de contato propriamente dita, com os botões e o scroll do aparelho.

Alguns dos visuais sugeridos pela patente do mouse.Alguns dos visuais sugeridos pela patente do mouse.Fonte:  Windows United 

A segunda metade é aquela capaz de ser dobrada, facilitando o uso do periférico em uma superfície como uma mesa e melhorando a portabilidade desse tipo de acessório, especialmente no caso de transporte.

A dobradiça que permite o transporte do produto.A dobradiça que permite o transporte do produto.Fonte:  Windows United 

Ambos são unidos por uma dobradiça e, por dentro, há sensores de movimento que ajudam a tornar os comandos por toque mais precisos e acrescentam mais possibilidades de resposta ao usuário. Atualmente, a marca comercializa um produto com duas telas separadas por uma dobradiça: o smartphone Surface Duo, que está na segunda geração.

Pode ser lançado?

Pelo visual, o periférico registrado lembra muito o mouse Microsoft Arc, há alguns anos vendido pela companhia. Esse produto é apenas curvo, mas já traz alguns testes de tecnologia que podem ser aproveitados no modelo dobrável, como o botão scroll totalmente háptico e sem reprodução física da "rodinha".

O mouse Arc em sua atual geração.O mouse Arc em sua atual geração.Fonte:  Microsoft 

A patente foi oficialmente registrada pela Microsoft em março de 2021, mas apenas apareceu em bases de registros na semana passada. Vale lembrar que isso não significa que o projeto vai evoluir necessariamente para um produto comercializado e, até o momento, a marca não se manifestou oficialmente sobre o caso.