M1 Pro e M1 Max são os novos chips ARM da Apple para MacBooks

1 min de leitura
Imagem de: M1 Pro e M1 Max são os novos chips ARM da Apple para MacBooks
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Durante seu evento de hoje (18), a Apple revelou sua nova linha de processadores baseados em ARM, para suceder o M1. Tratam-se do M1 Pro e o M1 Max, que promete garantir uma experiência mais profissional, mas sem deixar de lado a eficiência energética.

Os produtos seguem utilizando a arquitetura de 5 nanômetros do Apple Silicon e contam com design unificado, mas trazendo mais desempenho e funções para quem precisa de computadores mais potentes. Mesmo com o salto, os dispositivos contam com foco na eficiência e prometem entregar uma boa relação entre performance e consumo energético, como exibe o gráfico mostrado pela companhia.

Apple

M1 Max: o chip mais rápido feito pela Apple

O M1 Max é o chip mais potente já feito pela Apple. O produto conta com 10 núcleos de processamento e nada menos que 32 núcleos gráficos. Trazendo 57 bilhões de transistores, o chip pode utilizar até 64 GB de memória RAM e entrega até 400 GB/s de largura de banda.

O processador M1 Pro conta com a mesma filosofia, mas trazendo configurações inferiores, ficando entre o modelo Max e o M1 do ano passado. O produto possui 33,7 bilhões de transistores, até 32 GB de RAM, processador decacore e GPU de 16 núcleos, garantindo 70% mais velocidade em CPU e duas vezes mais desempenho gráfico em relação ao modelo do ano passado.

Apple

Ambos os chips também contam com aprimoramentos para renderização de vídeos e imagens. Uma das novidades são as otimizações para o formato ProRes, que promete melhores resultados ao trabalhar com arquivos em 4K e 8K. Os chips também incluem suporte para dois monitores e Thunderbolt 4.

A Apple também deu bastante atenção para a segurança dos novos processadores. Os modelos contam com "funções de segurança de ponta" integradas, incluindo verificação de hardware para boot seguro.

Apple

Por fim, a companhia destaca os benefícios de usar o Apple Silicon em computadores com o macOS. A empresa disse que mais de 10 mil apps do Mac já se tornaram universais, integrando a experiência entre diferentes aparelhos. A empresa ainda garante que cada vez mais softwares estão otimizados para a arquitetura baseada em ARM, garantindo saltos de desempenho nos novos chips.

O M1 Pro e M1 Max serão lançados no mercado nos novos computadores da Apple. A companhia planeja migrar todo o seu catálogo de produtos para chips feitos em ARM até 2022.