Thunderbolt 5 pode alcançar 80 Gbps, indica foto de VP da Intel

1 min de leitura
Imagem de: Thunderbolt 5 pode alcançar 80 Gbps, indica foto de VP da Intel
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

Uma foto postada no Twitter pelo vice-presidente executivo da Intel Gregory Bryant, nesse domingo (1º), pode ter revelado algumas informações sobre o Thunderbolt 5. Conforme a imagem, a próxima geração da interface de comunicação desenvolvida pela empresa americana deve contar com o dobro da velocidade da versão atual.

Na fotografia, já apagada do tweet, há um cartaz na parede do laboratório da Intel em Israel, visitado por Bryant, informando que a companhia tem como alvo a “Tecnologia 80G PHY”. Segundo o site Anandtech, que salvou a imagem antes da sua remoção, o texto se refere à capacidade de transmissão de dados da próxima geração do protocolo.

Com isso, o Thunderbolt 5 poderia chegar a 80 Gbps de velocidade, duas vezes mais que a largura de banda do Thunderbolt 4 lançado no ano passado, funcionando a 40 Gbps. Tal avanço permitiria, por exemplo, oferecer taxas de atualização mais altas para monitores com resolução 4K e 8K, entre outros benefícios.

Imagem publicada por Gregory Bryant contendo os vazamentos sobre o Thunderbolt 5.Imagem publicada por Gregory Bryant contendo os vazamentos sobre o Thunderbolt 5.Fonte:  Anandtech/Reprodução 

A novidade, que por enquanto não tem previsão de lançamento, deve manter a compatibilidade com o formato USB-C atual, facilitando a vida dos usuários. Essa informação também aparece em uma parte do texto mostrado na foto postada acidentalmente pelo executivo.

Outras novidades

Os detalhes vazados por engano incluem informações sobre uma possível mudança para o Pulse Amplitude Modulation-3 (PAM-3), de acordo com a publicação. Essa tecnologia surge como um meio termo entre os métodos Non-Return-To-Zero (NRZ) e PAM-4, permitindo obter uma maior largura de banda sem as limitações impostas pelas demais.

Algo que também parece ter sido confirmado é que os testes com o Thunderbolt 5 já ocorrem nas fábricas da Intel e apresentam “resultados promissores”. A imagem sugere ainda que os chips de teste da nova geração do protocolo podem ter sido fabricados pela TSMC utilizando a litografia de 6 nm, parceria que já havia sido anunciada anteriormente.