Google Acadêmico: o que é e como pesquisar na plataforma

3 min de leitura
Imagem de: Google Acadêmico: o que é e como pesquisar na plataforma
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

Além do buscador principal, a Google tem outro mecanismo que é focado no setor de ensino. Trata-se do Google Acadêmico (Google Scholar), que rapidamente foi transformado em um dos melhores recursos de pesquisa para estudantes universitários.

A plataforma da Google ajuda tanto quem está em busca de novas referências para trabalhos em geral quanto quem já é consolidado na carreira e quer manter o controle sobre as próprias obras.

Para aproveitá-la ao máximo , entretanto, é preciso prestar atenção na aula e saber como ela funciona.

Como funciona o Google Acadêmico?

O Google Acadêmico é, ao mesmo tempo, um repositório de literatura acadêmica e um buscador. Essa é a sua principal função: servir como espaço de pesquisa para artigos de revistas científicas, trabalhos apresentados em eventos, capítulos de livros ou até obras inteiras.

Aqui, vale o mesmo segredo para obter o melhor resultado possível: quanto mais específico você for nas palavras-chave, mais filtrada será a pesquisa.

Uma simples pesquisa sem filtros rende artigos de diferentes áreas do conhecimento.Uma simples pesquisa sem filtros rende artigos de diferentes áreas do conhecimento.Fonte:  TecMundo 

A base da plataforma é um índice de classificação desses trabalhos, com uma base de dados bastante robusta de produções nacionais e internacionais — um complemento para outros serviços já consagrados no meio, como Scopus e Web of Science.

O serviço nasceu em 2004, quando o Google ainda era focado somente no mecanismo de índice de páginas. Os criadores foram dois funcionários da empresa, Alex Verstak e Anurag Acharya, que encontravam na época poucos meios parecidos para conectar estudantes e pesquisadores.

O primeiro visual.O primeiro visual.Fonte:  Distant Librarian 

Como lema, o serviço adotou a frase "Sobre os ombros de gigantes", metáfora que se relaciona ao trabalho científico de progresso constante e gradual com base em descobertas anteriores. Ela foi inicialmente cunhada pelo filósofo francês Bernard de Chartres, mas foi imortalizada em uma obra do físico Isaac Newton.

Aproveitando-se da interface do buscador, ele ainda traz várias ferramentas de personalização de pesquisa, desde filtros temporais até limites por termos que devem ser os mais específicos possíveis. Em vez de sites, você recebe os trabalhos como resultado — e pode acessá-los ou baixá-los de acordo com os termos de uso de cada editora.

Tarefas extras

Outro recurso bastante utilizado por cientistas é o de citações. A partir de um único botão, é possível encontrar a forma mais precisa de utilizar o trabalho como referência bibliográfica, inclusive de acordo com as normas da ABNT e variantes.

As citações.As citações.Fonte:  TecMundo 

Dessa forma, você pode não apenas pesquisar títulos ou autores, mas também trechos de obras — e já inseri-lo no seu texto com a citação correta.

Outro recurso da plataforma é o "Meu Perfil", uma espécie de cadastro paralelo para pesquisadores, estudantes e professores.

O perfil que pode ser mantido por cientistas.O perfil que pode ser mantido por cientistas.Fonte:  TecMundo 

Por meio desse recurso, você adiciona todas as suas produções no meio acadêmico, como uma espécie de resumo do currículo Lattes. O Google ainda contabiliza e exibe a quantidade de citações que você já recebeu a partir de uma busca em sua própria base de dados.

Dicas para dominar o Google Acadêmico

Crie alertas

No seu perfil, é possível criar alertas na forma de mensagens de e-mail que avisam você a cada novo artigo publicado sobre um determinado termo ou de um certo autor.

Criando alertas.Criando alertas.Fonte:  TecMundo 

No menu principal, que fica no canto superior esquerdo da tela, vá em "Alertas" e depois em "Criar Alerta". É possível configurar avisos para quando você for citado, para textos recomendados com base nas suas palavras-chave ou de acordo com termos que você desejar.

Mantenha a sua biblioteca atualizada

Pode parecer um pouco cansativo para quem já tem uma carreira longa, mas é importante manter o perfil do Google Acadêmico completo e atualizado. Afinal, esse é um mecanismo popular de pesquisa para outros cientistas que talvez ainda não conheçam o seu trabalho. Além disso, trata-se de uma ótima forma de controlar o seu reconhecimento em outros trabalhos.

Adicionando trabalhos manualmente.Adicionando trabalhos manualmente.Fonte:  TecMundo 

O próprio Google realiza sugestões automáticas no cadastro, mas você mesmo pode adicionar obras manualmente a partir do ícone em forma de "+" na tela da sua conta.

Aproveite os atalhos e mecanismos

Para acessar as citações do Google Acadêmico, faça uma pesquisa e, ao encontrar o resultado desejado, clique no ícone de aspas. É ali que constam as alternativas de referência do trabalho.

Os recursos de citação e busca por similares.Os recursos de citação e busca por similares.Fonte:  TecMundo 

No mesmo ambiente, você pode aproveitar os outros atalhos: o ícone de estrela adiciona o texto a uma lista de Favoritos para leitura posterior, enquanto "Artigos relacionados" traz textos similares. Já "Citado por..." mostra todos os autores que usaram a obra como referencial, o que pode ser ótimo na construção de uma bibliografia sobre um tema específico.

É possível ainda visualizar o resultado em todas as suas fontes e repositórios, algo importante para o caso de um link quebrado.