Pesquisadores transformam folhas do abacaxi em peças de drones

1 min de leitura
Imagem de: Pesquisadores transformam folhas do abacaxi em peças de drones
Imagem: Lim Huey Teng/Reuters
Avatar do autor

Pesquisadores da Malásia desenvolveram um material resistente capaz de ser transformado em estruturas utilizadas em drones: a fibra das folhas de abacaxi. Segundo o coordenador do trabalho, o professor Mohamed Thariq Hameed Sultan, da Universidade de Putra, o novo material tem uma relação resistência/peso superior à das fibras sintéticas, é mais barato e mais leve.

Iniciado em 2017, o projeto da Universidade Putra tinha o objetivo de encontrar usos sustentáveis para os resíduos de abacaxi gerados por agricultores da região de Hulu Langat, próxima à capital Kuala Lumpur. A ideia era de que o lixo, queimado ou descartado no meio ambiente, pudesse ser vendido.

A solução para os resíduos de abacaxi

Em um workshop, Mohamed Thariq revelou à agência Reuters a solução: “Estamos transformando a folha do abacaxi em uma fibra que pode ser usada para aplicação aeroespacial, basicamente inventando um drone”.

Os protótipos de drones construídos com a nova tecnologia foram capazes de voar a uma altitude de cerca de 1 mil metros, permanecendo no ar durante 20 minutos. Atualmente, a equipe trabalha num modelo maior, capaz não só de acomodar cargas úteis maiores, como incluir sensores de imagens, que possam ser utilizados em mapeamento agrícola e inspeções aéreas.

Além das vantagens divulgadas inicialmente pelos pesquisadores, Mohamed Thariq explicou que, se a estrutura do drone for danificada, ela poderá ser integralmente enterrada e o material biocompósito irá se degradar naturalmente em duas semanas.


Pesquisadores transformam folhas do abacaxi em peças de drones