Flipboard lança serviço de notícias em vídeo sem anúncios

1 min de leitura
Imagem de: Flipboard lança serviço de notícias em vídeo sem anúncios
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

O Flipboard lançou um novo serviço de assinatura de vídeo, que deve custar US$ 3 por mês e agregará vídeos de notícias de cerca de 100 fontes diferentes. A TV Flipboard, como o serviço será chamado, estará disponível a partir de março apenas nos celulares Samsung Galaxy S20, onde já virá pré-instalado e será gratuito durante os três primeiros meses.

Os segmentos cobertos pela TV Flipboard englobam notícias e política, negócios, entretenimento, alimentação, saúde, atividades ao ar livre e tecnologia. A Flipboard diz que haverá mais de 100 fontes no lançamento, e o serviço se concentrará em produtos produzidos profissionalmente. O conteúdo será fornecido por empresas como The Wall Street Journal, Bloomberg News, Rolling Stone, US Weekly e Surfer, e também inclui vídeos de estações de TV locais dos Estados Unidos.

(Fonte: TheNextWeb/Reprodução)

Em outros lugares do Flipboard, uma grande quantidade de curadoria é tratada há muito tempo pelos usuários do aplicativo, que podem criar suas próprias revistas sobre qualquer assunto e depois inserir artigos neles. O processo de curadoria da Flipboard TV usará editores e algoritmos para ajudar os usuários a encontrar vídeos produzidos profissionalmente que se encaixassem nos seus interesses.

Diferenças do Flipboard em relação a outros apps

Obviamente, o Flipboard não é o primeiro serviço a oferecer vídeos sem anúncios; O Hulu e o YouTube também fazem isso, ambos por US$ 12 por mês. Mas, novamente, suas ofertas são bem diferentes da TV Flipboard centrada em notícias. O serviço também pode não ficar livre de anúncios para sempre, uma vez que o Flipboard, apoiado em capital de risco, obtém a esmagadora maioria de sua receita com anúncios.

O Flipboard também diz que não tem planos de produzir vídeos originais, enquanto outros serviços de assinatura de vídeo se comprometeram a gastar milhões para produzir ou encomendar programas exclusivos, a exemplo de outras plataformas que oferecem experiências de vídeo sem anúncios, como Amazon, Hulu, Netflix e, quando for lançado, Quibi.