Qual smart TV comprar: veja a melhor opção para seu bolso

4 min de leitura
Imagem de: Qual smart TV comprar: veja a melhor opção para seu bolso
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A smart TV fez jus ao nome (TV inteligente em inglês) e passou a incorporar na televisão funções semelhantes a um smartphone. A partir daí, o “telespectador” se transformou em “usuário” e passou a escolher o que queria assistir e, o que é mais importante, em que hora assistir.

Se já sabe como as coisas funcionam e quer ver a melhor smart TV por tamanho, organizamos em uma série de matérias, que podem ser acessadas por meio do índice abaixo:

Caso necessite saber mais do assunto para tomar a decisão de qual smart TV comprar, sugirimos que leia até o final.

Mas as novidades não pararam por aí: a smart TV permite acessar sites, fazer buscas e pesquisas, ler e-mails, conectar-se às redes sociais, jogar videogame, e aposentar até mesmo os serviços de TV a cabo, trocando-os pelo streaming.

Comprando uma smart TV

Fonte: Save on Energy/Reprodução

Vamos iniciar com um segredo: comprar uma televisão no Natal de 2019 ou na Black Friday do ano que vem, tanto faz: é a mesma coisa. O que queremos dizer é: sempre é meio opressivo e assustador. TVs do mesmo tamanho têm variações chocantes de preço, os fabricantes (e os vendedores) inventam uma série de recursos que você não vai usar, tecnologias meio bizarras e exigências "nada a ver" sobre qualidade de imagem só para você gastar mais.

O objetivo deste pequeno tutorial é fornecer informações fáceis de entender que possam ser úteis na hora de comprar a melhor smart TV para você. Não iremos responder todas as questões nem fazer previsões astrológicas como "qual TV irá fazer você feliz?". Mas, após a leitura, você saberá o básico para se sentir confortável sobre qual comprar.

Bora destrinchar as tecnologias!

Tamanho

Fonte: Pexels

O tamanho da TV é um dos principais itens a serem analisados. Uma smart TV de 26 polegadas deve ficar a uma distância de, pelo menos, um metro, mas nunca superior a dois. Já um aparelho de 42 polegadas deve manter uma distância de 1,60m do espectador, porém inferior a 3,20m. É preciso também pensar no tamanho do cômodo: muita gente sonha com uma TV de 110 polegadas, mas às vezes se esquece de que a tela chega quase a dois metros de largura.

Para se ter uma noção do tamanho das telas, o TecMundo fez, durante os últimos meses, uma série de comparativos entre smart TVs:

Tipo de tela

Fonte: LG/Divulgação

A maioria das TVs disponíveis no mercado ainda utiliza telas de LCD, mas elas vêm sendo substituídas pelas de LED, que consomem até 40% menos energia e são mais finas que as de LCD porque são iluminadas por diodos emissores de luz. As cores ficam mais vivas, porque os cristais líquidos filtram as cores e, como não ocorrem oscilações na luz, também não há perda de brilho. Atualmente, as TVs de LED evoluíram para OLED e QLED.

O significado de OLED é organic light-emitting diode (ou diodo orgânico que emite luz). Isso significa que a tela OLED tem uma luz emitida por compostos orgânicos que, em contato com a eletricidade, produzem cores naturais. Os pixels acendem e apagam sozinhos, fortalecendo contrastes e intensificando os tons de preto. É por isso que a cor preta é de verdade em displays OLED.

A tecnologia QLED ainda é de uso exclusivo dos modelos top da Samsung. São as telas chamadas de Quantum Dot (pontos quânticos). Trata-se de uma mistura entre a tecnologia de ponta da Samsung com a "antiga" LED. Ela absorve e reemite a luz em uma onda diferente, simulando o que acontece em painéis OLEDs, só que por um valor mais em conta.

OLED ganha ligeiramente da QLED em uma comparação direta, mas essa "novidade" da Samsung não corre o risco de sofrer burn-in, que é a mancha causada pela exibição contínua de imagens estáticas pela tela.

Resolução

Fonte: LG/Divulgação

A característica mais importante na hora de assistir TV é a imagem que, por sua vez, depende da resolução da tela que é determinada pela quantidade de pixels, aqueles pontinhos quadradinhos que formam imagens.

Antes, a resolução HD era a mais comum, mas foi logo substituída pelo Full HD. No momento, contudo, quem reina nas prateleiras das lojas é a 4K. Essa resolução também é conhecida como Ultra HD e espalha 3840 x 2160 pixels pelo display. Ela traz mais definição de imagem, fazendo com que os cenários ganhem detalhes que não podiam ser vistos antes.

Para a sua próxima smart TV, recomendamos que a tela seja pelo menos 4K. Sim, a 8K já existe, mas ainda é cara demais para ser sugerida. Além disso, conteúdo em 8K ainda é escasso em séries e filmes.

Taxa de atualização

A taxa de atualização é a frequência em hertz, o que significa o número de vezes em que uma imagens é atualizada na sua telinha. Ou seja, de nada adianta seu jogo rodar a 200 fps, enquanto a taxa de atualização é de "apenas" 60 Hz. Quanto maior for o número de Hz, maior será a qualidade da cena em movimento. Hoje existem modelos com até 120 Hz, mas o padrão da maioria é 60 Hz. Por isso, na hora de comprar uma smart TV, garanta que ela entregue no mínimo 60 Hz.

Se você pretende pegar pesado nos jogos, principalmente via PC, PS4 Pro e Xbox One X, recomendamos escolher um modelo com 120 Hz, como as OLEDs da LG e QLEDs da Samsung.

Sistema operacional

As TVs modernas, tal como os smartphones, também possuem um sistema operacional. Ele permite que você tenha acesso a dezenas de aplicativos, navegue na internet e até se conecte a outros aparelhos por meio do Wi-Fi ou Bluetooth. É importante comprar um modelo que ofereça exatamente o que você estiver procurando.

Netflix e Amazon Prime Video são os básicos, porém alguns equipamentos vão além e contam com uma grande variedade de apps. Abaixo, listamos alguns dos principais:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Qual smart TV comprar: veja a melhor opção para seu bolso