Mac Pro em configuração top pode chegar a mais de R$ 660 mil

1 min de leitura
Imagem de: Mac Pro em configuração top pode chegar a mais de R$ 660 mil
Avatar do autor

Todo mundo sabe que Apple costuma fabricar dispositivos com foco no público “premium”. Sua linha para profissionais segue esse mesmo conceito, com tecnologia e de design de ponta, além de matéria-prima e construção que realmente elevam o preço. E como ficaria o novo Mac Pro com o Display XDR 6K Nano-Texture e os acessórios com tudo o que podemos até agora?

O pessoal do The Verge fez essa estimativa, a partir dos preços oficiais já anunciados e de componentes semelhantes em outras máquinas da Maçã, a exemplo do iMac Pro. Vamos usar esses  valores para converter à “realidade Brasil”:

  • Mac Pro: US$ 6 mil
  • 12 memórias RAM DDR4 ECC 2.933 MHz de 128 GB: US$  17,9 mil
  • 2 armazenamentos SSD de 2 TB cada: US$ 2,4 mil
  • 1 processador Intel Xeon W de 28 núcleos com 2,5 GHz e Turbo Boost até 4,4 GHz, com 66,5 MB de cache: US$ 7,5 mil
  • 2 placas de vídeo AMD Radeon Pro Vega II: mínimo de US$ 12 mil
  • 1 card acelerador de edição de vídeo Afterburner: preço desconhecido
  • 6 monitores Pro Display XDR Nano-Texture (capacidade máxima da workstation): US$ 36 mil
  • 6 “pé de monitor” Pro Stand: US$ 6 mil
  • 1 teclado Magic Keyboard +  1 Magic Trackpad: US$ 228

Veja bem, esse é o valor total da estação de trabalho com todos os produtos possíveis até o momento. O valor total é de US$ 88.028, sem extra para som.

appleFonte: Apple

Se transformarmos esse montante na cotação direta do dólar comercial de hoje (4), temos R$ 339.276. O “dólar Apple” (conversão da moeda + impostos e outros custos), segundo o MacMagazine, custa hoje perto de R$ 7,5. Com base nessa referência, teríamos então R$ 660.210.

Ou seja, para ter essa “workstation top” de tudo o que a Apple lançou nesta semana, é preciso mesmo desembolsar uma pequena fortuna. E olha que ainda cabe mais nessa conta aí.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Mac Pro em configuração top pode chegar a mais de R$ 660 mil