O CEO da Sony, Kenichiro Yoshida, anunciou ontem (22) que o ramo de smartphones é essencial para o sucesso geral da empresa. A fala, porém, vai de encontro aos resultados da companhia: de acordo com a Reuters, o negócio de smartphones gerou um prejuízo de US$ 879,45 milhões para a marca no último ano fiscal, encerrado em março.

Yoshida justifica sua preocupação com esse ramo, que aparentemente é o mais frágil do negócio. "As gerações mais jovens já não assistem a TV", disse o executivo. "Vemos os smartphones como hardware para entretenimento e um componente necessário para tornar nossa marca de hardware sustentável", completou.

Novidades

Sony tem, hoje, de acordo com seu relatório financeiro, menos de 1% de participação no mercado global de smartphones, o que representa por volta de 6,5 milhões de aparelhos vendidos por ano, principalmente no Japão e na Europa. A empresa, que já deixou de operar no mercado brasileiro com smartphones, irá focar seus esforços agora nos mercados do Japão, Europa, Hong Kong e Taiwan. 

Para seguir as indicações do CEO e tornar o negócio lucrativo no próximo ano, a companhia está reforçando as funções de jogos dos smartphones, aproveitando o potencial de clientes impactados pelo PlayStationMelhorias nas câmeras dos aparelhos e, consequentemente, nas imagens captadas por elas também estão previstas.