Não é de hoje que prazer e tecnologia têm convergido para tornar vários dos fetiches eróticos em realidade. E o lado mais safadinho da robótica tem avançado em um nível capaz de emular a presença de parceiros de tal forma que o interesse e o número de companhias produzindo “bonecas” — e “bonecos” — só aumenta a cada ano.

Prova disso é a demanda que a LumiDolls, empresa especialista no ramo, tem tido ultimamente. E mais: com a abertura de um “bordel robótico” no Japão, é possível destacar a tendência de homens procurando relações bissexuais com modelos autômatos muito parecidos com seres humanos.

Segundo o dono do estabelecimento, que já tem outras bem-sucedidas unidades em Barcelona (Espanha) e em Turim (Itália), os clientes masculinos têm procurados mais por robôs homens — inclusive com a presença das robôs mulheres.

sexo robôFonte: LumiDolls

"(São) provavelmente bissexuais ou heterossexuais, que querem experimentar sexo anal sem interagir diretamente com um homem de carne e osso", comentou Sergi Prieto, que inicialmente oferece 4 diferentes modelos na nova casa noturna, em Nagoya (Japão).

Avanço da tecnologia e baixa dos preços devem aumentar a popularidade

De acordo com Prieto, o preconceito com relação ao sexo artificial deve diminuir e a popularidade aumentar conforme a tecnologia avançar. "Acreditamos que fluxo aumentará quando as melhorias tecnológicas forem notáveis e podermos oferecer esses novos modelos aos nossos clientes".

Atualmente, as LumiDolls ainda não contam com recursos de última geração, como inteligência artificial e movimentos faciais. "No momento não pensamos introduzi-los em nossos bordéis devido ao seu alto preço e seu baixo realismo — essas funcionalidades precisam de mais melhorias.”

lumidollsFonte: LumiDolls

"Ainda é necessário mais tempo para que os preços comecem a cair e sejam muito mais acessíveis. Em 2019 não acreditamos que novas funcionalidades apareçam, mas que as que já existem serão melhoradas — inteligência artificial, movimentos faciais etc."