Depois de muitos teasers, a Valve finalmente revelou seu aguardado óculos de realidade virtual. Chamado de Valve Index, o aparelho tem seus próprios controles, base e novas tecnologias, como o visor com o dobro de pixels dos atuais equipamentos do mercado. O pacote completo do Index, com controles e a estação-base (as câmeras) custa US$ 999 (cerca de R$ 4 mil sem impostos e taxas) e chega no dia 28 de junho.

O visor do Valve Index será com displays LCD com resolução 1440x1600 com redução do efeito “screen door”, que causa os subpixels quebrarem em alguns casos nos visores OLED e taxas de atualização de até 144 Hz (o padrão é 120 Hz e é compatível com 90 Hz). Além disso, o sistema de iluminação traz a redução de borrões na tela.

Além disso, a viseira (que tem as almofadas e adaptações para acomodar o rosto do jogador) pode ser trocada e a Valve quer incentivar os usuários a criarem suas próprias viseiras. Acompanhando o pacote, há fones embutidos com ótima qualidade sonora. O mais legal dos fones é que ele é desenhado para não encostar nas orelhas, evitando desconforto e aquecimento da pele. Aparentemente, o Valve Index funciona com fios, diferente do HTC Vive Pro.

A Steam ainda é uma plataforma aberta ao VR

No site da Valve, a empresa reforçou que a Steam não tem trava de hardware para nada e continuará a oferecer suporte para outros aparelhos de realidade virtual, como o HTC Vive, o HTC Vive Pro e o Oculos Rift.

O aparelho pode ser comprado separadamente por US$ 749 (cerca de R$ 3 mil), os controles saem por US$ 279 (R$ 1,1 mil) e a estação-base (câmera) sai por US$ 149 (R$ 600). As vendas do Valve Index começam amanhã (dia 1º de maio), mas o aparelho será lançado somente no dia 28 de junho.

Valve mostra seu novo óculos VR, o Valve Index, que custa cerca de R$ 4 mil via Voxel