O mercado todo espera que os primeiros telefones dobráveis cheguem às prateleiras não somente com as telas flexíveis mas também com uma performance acima dos atuais flagships do mercado — até porque é o que se espera quando se paga quase US$ 2 mil por um aparelho. A Samsung deve começar a vender o Galaxy Fold a partir do dia 26 de abril na Europa e nos Estados Unidos e alguns testes preliminares mostram um pouco o que vem por aí.

Performance, pelo menos por enquanto, é semelhante à do Galaxy S10+

Mishaal Rahman, editor-chefe do site XDA Developers, disse ter colocado as mãos na novidade e confirmou que o Galaxy Fold vem mesmo com o processador Snapdragon 855. Ele afirmou que o desempenho é semelhante ao Galaxy S10+ com Exynos, com duração de bateria boa e jogos funcionando razoavelmente bem. As câmeras internas/frontais são da Sony.

O Galaxy Fold é um dos primeiros a ter a tecnologia de armazenamento otimizada UFS 3.0 e os resultados ficam em torno do dobro do Galaxy S10+, com leitura a 1.513 MB/s e gravação a 419 MB/s.

As telas interna e externa podem ser personalizadas separadamente, com vários papeis de parede específicos disponibilizados pela própria Sammy. E o produto vem com Samsung Pay.

Outras funcionalidades deixam a desejar

Mas aí vêm algumas decepções. Rahman diz que há um certo atraso na troca da tela pequena para a grande e às vezes há uma pausa para uma completa renderização da página web que já estava aberta no Chrome. Para os aplicativos não responsivos, há uma botão para o reload de toda a interface.

Pelo menos nessa primeira impressão, o usuário não conseguiu dobrar o aparelho no "modo laptop"

Quando aberta, a tela não pode ir além de 180 graus e, embora seja possível fechá-la parcialmente no modo laptop, a tela interna fica desligada nessa posição, tornando-a inútil. Ou seja, nada de tentar usá-la dessa forma com a metade do display simulando um teclado, por exemplo. A interface é o OneUI 1.2 e o vinco da dobradiça aparentemente fica bem visível no display maior, embora fique imperceptível quando há brilho acima de 70%.

galaxy foldFonte: MS Power User

Agora, o que mais surpreende — e de uma forma negativa — é o desempenho do Galaxy Fold no Geekbench. O aparelho foi testado com sua nomenclatura internacional (SM-F900F) e o teste com um núcleo mostrou 3.418 pontos, com 9.703 no multi-core. O Mi 9, por exemplo, apresenta 3.454 e 10.887, respectivamente e o BlackShark 2 vai a 11.414 com núcleos múltiplos.

Galaxy foldFonte: GSM Arena

Vale lembrar que todas essas informações são extra-oficiais e que o produto ainda não está em sua versão final. Mas com o lançamento chegando no final de abril, a Samsung precisa fazer mais para justificar o investimento que os primeiros consumidores devem fazer na novidade.