A Xiaomi é conhecida por conseguir alinhar bons preços com especificações acima da média. Essa relação custo-benefício é a tônica de seus dois novos lançamentos, o Redmi 7 e o Redmi Go, anunciados para os mercados da China, Índia e Europa.

A começar pelo Redmi 7, que se posiciona entre os aparelhos de entrada e os intermediários mais básicos. A grande mudança com relação ao seu sucessor é a troca do processador MediaTek Helio P22 pelo Qualcomm Snapdragon 632. A memória RAM pode ser de 2 GB, 3 GB e 4 GB e o armazenamento interno vai de 16 GB a 64 GB.

Ele conta com duas câmeras traseiras, a principal de 12 MP e a de profundidade de 2 MP. O sensor para selfies fica no notch em forma de gota e tem 8 MP. A tela vem com 6,26 polegadas e um pequeno queixo, com proporção 19:9 e resolução HD+. Atrás, fica também um scanner para impressões digitais.

A bateria conta com 4.000 mAh, que, de acordo com a empresa chega a 412 horas em standby, e o Redmi 7 vem com entrada de fone 3,5 mm e funções de controle remoto IR Blaster.

Redmi Go

Já esse aparelho é de entrada e é o primeiro a ter o Android Go, o sistema operacional em versão com mais economia de bateria e dados, dedicado aos mercados emergentes. Como era de se esperar, ele possui um design bem básico, com tela de 5 polegadas e uma grande área de “franja” e “queixo”, onde ficam três botões capacitivos — “Home”, “recentes” e “voltar”. A proporção é de 16:9, com resolução Full HD.

O processador é o Snapdragon 425, com 1 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno (com possibilidade de expansão para 128 GB com microSD. A câmera traseira conta com 8 MP e a frontal para selfies vem com 5 MP. A bateria conta tem capacidade de 3.000 mAh, que, segundo a Xiaomi, aguenta 12 horas de chamadas, 78 horas de música, 5 horas de reprodução de vídeo ou até 10 dias em standby.

Preço e disponibilidade

O Redmi 7 custa US$ 105 (R$ 397 na conversão direta) na versão de 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento interno; US$ 120 (R$ 453) com 3 GB/32 GB; e US$ 150 (R$ 567). Já o Redmi Go sai por quase US$ 65 (R$ 245).

Como dito anteriormente, ambos os aparelhos estão sendo lançados na Índia, China e em alguns mercados da Europa. É bem possível que eles apareçam aqui em breve, já que ambos teriam sido flagrados em homologação junto à Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) — mas isso não foi confirmado e nem há data para lançamento por aqui.