Desde que nasceu, em 2013, a Light já via nas múltiplas câmeras um setor em ascensão na indústria de smartphones e apenas dois anos depois ela já apresentava o exagerado L16, um dispositivo com 16 câmeras modulares. Bem, o que parecia excesso em 2015, agora é tendência — vide o Nokia 9 Pureview, que, aliás, foi projetado com ajuda da própria Light.

A companhia virou referência nessa área e agora tanto a Sony quanto a Xiaomi já assinaram parceria para turbinar os sensores de seus aparelhos. O acordo com a gigante japonesa prevê “quatro câmeras ou mais” em suas próximas linhas e o desenvolvimento da comunicação entre o conjunto e o sistema de processamento de imagens nipônico. Isso deve resultar também em aplicativos que possam otimizar a combinação.

Já os detalhes sobre a união com a chinesa são mais escassos e apontam apenas para um salto de qualidade capaz de chegar ao nível de uma DSLR (digital single-lens reflex), ou as chamadas “câmeras profissionais”.

lightFonte: Light

A Light fez questão de destacar a Sony como “líder de participação no mercado” e a Xiaomi como “uma das mais inovadoras fabricantes de smartphones”. Ao que parece, a partir de agora ela deve ser o principal parceiro na construção de multicâmeras — e aí é que os softwares serão ainda mais determinantes para o sucesso de um bom conjunto.