Como todos sabem, os recém-lançados Galaxy S10 e S10+ possuem scanner ultrassônico de impressões digitais sob a tela, uma das tecnologias mais aguardadas pelos consumidores para os dispositivos móveis de última geração. Mas com isso veio a pergunta: “será que o leitor corretamente funciona quando há algum revestimento protetor no display?”

Um vídeo publicado pela Mobile Fun chegou a mostrar um Galaxy S10 com uma película que possui um furo justamente onde o usuário posiciona seus dedos. Isso levou a crer que o dispositivo talvez não funcione corretamente com algum tipo de revestimento.

Agora, a própria Samsung publica um comunicado adiantando que tanto o Galaxy S10 quanto o S10+ virão com proteção de fábrica, que inclusive terá garantia de 90 dias. Esse mesmo acessório poderá ter peças sobressalentes vendidas posteriormente pela própria sul-coreana a US$ 30 (R$ 112).

E a companhia diz que “para garantir a funcionalidade completa do sensor de impressão digital ultrassônico, encoraja fortemente parceiros de operadoras e varejo a levarem os protetores de tela como opção de compra para substituição em suas lojas”.

Ainda não se sabe exatamente qual é o poder de foco desse scanner e se ele realmente vai manter sua precisão e velocidade, mesmo sob um revestimento. Mas o que fica mais claro é que ele não deve mesmo funcionar 100% com qualquer proteção de tela que você comprar por aí.