Microsoft levou para a MWC 2019 sua nova versão do HoloLens, os óculos de realidade virtual da empresa que prometem grandes melhorias em comparação a seu antecessor. O dispositivo foi desenvolvido pelo brasileiro e antigo funcionário da Microsoft Alex Kipman, também responsável pela criação do Kinect, para os consoles Xbox.

Segundo Kipman – que o TecMundo entrevistou ano passado em Paris, quando concorria ao prêmio de inventor do ano do Escritório Europeu de Patentes –, o dispositivo teve seu controle por gestos refinado e ganhou melhorias consideráveis no sistema de rastreamento dos olhos, para permitir que textos em realidade aumentada ou virtual possam rolar automaticamente conforme o usuário vai lendo.

De olho nos negócios

O foco do HoloLens 2 são os profissionais e os negócios, e, por isso, a Microsoft está mirando em empresas de saúde, segurança, manutenção e muitas outras áreas que podem se beneficiar das habilidades dos óculos. Kipman deu mais detalhes sobre a criação do HoloLens 2 para a publicação Quartz durante a MWC em Barcelona.

Tem que ser tão fácil quanto colocar um chapéu. Eu quero que seja instintivo. Eu não quero que isso seja um comportamento aprendido

O brasileiro contou que pensaram muito no design do produto, visto que óculos de realidade virtual ou aumentada sempre sofrem críticas em relação ao conforto de usá-los. Kipman disse que se inspirou no uso de um boné, ou um chapéu, para criar o design do HoloLens 2: “Tem que ser tão fácil quanto colocar um chapéu. Eu quero que seja instintivo. Eu não quero que isso seja um comportamento aprendido. Então, quando nos propusemos a construir o HoloLens 2, o tema era que ele tinha que estar colocado como um chapéu”.

Mudando o centro de gravidade dos óculos, eles passaram a ser mais confortáveis na cabeça do usuário. O primeiro HoloLens ficava a apenas 11 milímetros dos olhos do usuário, enquanto que seu sucessor fica a 70 milímetros.

Kipman ainda contou que usa o HoloLens 2 o tempo todo em seu trabalho, tanto para visualizar os modelos tridimensionais que estão desenvolvendo quanto para comunicação com pessoas do mundo todo. Será que esse modelo de produto vai finalmente cair no gosto dos usuários se mostrando mais prático e confortável de usar, como um chapéu? Deixe sua opinião aqui nos comentários.