O DxOMark, especializado em análise de câmeras para dispositivos mobile, publicou sua análise sobre os sensores do queridinho Pocophone F1 — o aparelho da Poco, subsidiária da Xiaomi, que traz o processador Snapdragon 845, tela de 6,1 polegadas com resolução 1.080 x 2.246 e 6 GB de RAM a preço barateza de US$ 300 (R$ 1.113 na conversão direta).

O resultado pode ser considerado muito bom, levando em consideração o preço e as lentes, que apresentam um esquema de temporada passada. A pontuação geral de 91 (92 para foto e 90 para vídeo) é superior ao do primeiro Google Pixel e apenas um ponto inferior ao iPhone 8.

PocophoneFonte: DxOMark

Nas especificações, o Poco F1 traz duas câmeras traseiras, com a principal de 12 MP (f/1.9) e a segunda de 5 MP (f/2), e uma fronta, de 20 MP (f/2.0). O hardware vem também com autofoco DAF, dual-LED flash e modo de vídeo com resolução de 2.160 a 30 FPS (modo padrão com 1.080).

pocophoneFonte: DxOMark

Avaliação destaca o poder do autofoco PDAF

Segundo o DxOMark, um dos grandes atrativos das câmeras do Poco F1 é como seu autofoco PDAF age rápida e precisamente com a detecção de fase. Ele vai bem tanto em ambientes externos quanto internos e atinge um nível satisfatório de cores em várias condições — o mesmo acontece com o uso do flash. Além disso, os sensores atingem alto nível de contraste e equilíbrio de branco quando há boa iluminação.

Com relação ao vídeo, o autofoco também é rápido e preciso e apresenta um bom acompanhamento durante toda a gravação, com estabilização efetiva e cores vivas em todas as condições de iluminação.

E os contras? Bem, o alcance dinâmico (HDR) não vai tão bem quanto os aparelhos mais sofisticados e há um nível baixo de detalhes sob pouca luz. O zoom também não vai muito bem nos detalhes e no ajuste, que é muito brusco. A renderização dos rostos fica bem pobre nas áreas fora de foco.

Não deixa de ser um aparelho muito interessante, especialmente por conta de seu preço.