Uma utilidade interessante de assistentes virtuais é a de responder por perguntas rapidamente com informações buscadas na internet e até com certa naturalidade. A Amazon, pensando em contornar erros na sua assistente Alexa, anunciou um novo programa na última quinta-feira (6).

Em fase beta, a iniciativa usa consumidores como fonte de informação. O programa já acontece há, aproximadamente, um mês e já existem mais de 100 mil respostas registradas, contudo, apenas com funcionários da loja. “De vez em quando, os usuários mandam perguntas difíceis de serem respondidas, como: Onde os morcegos vão no inverno? ou Quem escreveu a trilha sonora de 'Senhor dos Anéis'?, alega Bill Barton, vice-presidente da Alexa Information.

Participantes do programa foram convidados por email e precisam responder algumas perguntas. Os usuários, após enviarem as respostas (com até 300 caracteres), avaliam positivamente ou negativamente a participação de outras pessoas, considerando precisão e utilidade. A alternativa escolhida será utilizada pela assistente — que, para evitar confusões, dará créditos a “um usuário Alexa” no ato da resposta.

Os participantes podem escolher a área de conhecimento que desejarem, como ciências e geografia. Que serão preenchidas também por questões que a Alexa não soube responder.

A Amazon, pensando em inconvenientes, também criou um filtro automático para evitar que sejam salvas respostas ofensivas, incluindo um bloqueio para palavrões, evitando assim que elas cheguem a ser avaliadas.

A escolha dos usuários não foi aleatória. A seleção foi feita focando os usuários com avaliações mais frequentes e os mais engajados com a Alexa. Contudo, se o programa der certo, é provável que seja aberto para todos em breve. E, com o tempo, as respostas dadas pela assistente poderão ser mais precisas e completas do que as encontradas na web ou em outras assistentes.