Não é de hoje que muitos esperam uma resposta da Google para o mercado de smartwatches — um possível Pixel Watch — e uma patente que veio à tona nesta semana na web oferece uma prévia de como seria esse gadget, caso ele realmente estivesse em desenvolvimento. O esquema mostra o uso da pele do braço como uma espécie de touchpad virtual.

Batizado de “Gesture-Based Small Device Input” (“Pequena Entrada de Dispositivo Baseado em Gestos”), o documento foi flagrado pelo My Smart Price mostra que um dos sensores do relógio poderia rastrear o movimento do dedo e tomá-lo como referência para a entrada de atividades. Ou seja, o seu indicador poderia se tornar uma caneta stylus ou a seta de ou mouse.

smartwatchFonte: My Smart Price

A identificação dos movimentos seria realizada com uma combinação de câmeras de baixo custo com emissor de luz e até mesmo detecção por som. A configuração prevê um sistema que possa perceber melhor a profundidade, até mesmo em condições de pouca luminosidade. O “clique” seria emulado por meio do acelerômetro, que poderia envolver algum movimento, como sacudir o pulso.

googleFonte: My Smart Price

Outra implementação mencionada no registro é a colocação de pares de sensores posicionados verticalmente para detectar toques do dedo de forma que eles possam ser usados em uma imagem de um teclado QWERTY. Ou seja, seria possível também digitar textos no seu próprio braço.

Claro que isso por enquanto não passa de uma ideia e muitos dos planos cadastrados em escritórios de patentes chegam a ver a luz do dia. Mas não deixa de ser uma abordagem diferente e interessante, que amplia a utilidade e as funções dos atuais relógios inteligentes.

Cupons de desconto TecMundo: