Após anos dedicada à criação de teclados gamer que mais parecem uma festa rave do que periféricos que você realmente poderia usar no dia a dia, a Razer lançou o Blackwidow Lite, seu primeiro “teclado profissional” para o mercado norte-americano.

Mesmo sendo um Razer, e tendo um design com teclas mecânicas, esse aparelho não foi desenvolvido para os PC gamers. Em vez disso, ele foi criado para quem precisa trabalhar com um teclado de alta qualidade e gosta da sensação do retorno tátil para melhorar a precisão da digitação.

Em outras palavras, a fabricante deixou os gamers de lado por um instante para tentar agradar aos escritores. Não sabemos exatamente se o aparelho da empresa é de fato bom para escrever, mas seu design é bastante atraente para quem está pensando em montar uma estação de trabalho.

razerTeclado foi desenvolvido para ser silencioso e ainda vem com borrachinhas que podem ser acopladas abaixo das teclas para diminuir ainda mais o barulho (fonte: Razer)

O visual é bem sóbrio e não tem qualquer LED RGB jogando luz na cara do usuário. A única iluminação é branca, e ela não é forte o suficiente para incomodar. Ela basicamente serve para utilização no escuro, como todo teclado retroiluminado de notebook.

Curiosamente, não há o teclado numérico lateral, indicando que o aparelho é realmente para escritores, e não para quem quer trabalhar com planilhas ou qualquer outra coisa que envolva a digitação maciça de números. O cabo USB é removível para que ele também seja transportado com facilidade.

razerNão há um teclado numérico na lateral (fonte: Razer)

O aparelho já está à venda nos EUA por US$ 90, o equivalente a R$ 338 na cotação atual desconsiderando impostos. Esse preço também mostra, mais uma vez, que o Blackwidow Lite realmente é algo inédito na linha de teclados da marca. Pena que eles não vendem um ABNT2 para a gente aqui no Brasil.