Você já ouvir falar na e-ink ou papel eletrônico? É uma nova tecnologia que imita o papel convencional, oferecendo maior visibilidade e contraste com menos consumo de energia e emissão de luz prejudicial à nossa visão. É uma alternativa mais saudável de leitura às telas de LCD e OLED, comuns nos tablets e smartphones.

 Novidade já superou meta de arrecadação em financiamento coletivo e deve ser lançada em março de 2019

Agora, a startup chinesa Dasung oferece um monitor que pode reproduzir o conteúdo exibido nos dispositivos móveis. O aparelho, que é designado como “não é um eReader”, justamente para não ser confundido com um livro eletrônico, conta com um processador quad-core e display de 7,8 polegadas, resolução de 1872 x 1404 p e densidade de 300 ppi com luz fria. Sua maior limitação é que só exibe imagens em preto e branco.

Ele vem com 2 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno, sistema operacional Android 6.0, capacidade de bateria de 5.300 mAh, conectividade Bluetooth e WiFi, tela sensível ao toque e dois canais de som estéreo. Ele também vem com microfone embutido, entradas para fone de ouvido e USB-C e saída para cabo mini HDMI, que pode ser conectado a um PC.

A novidade já ultrapassou em 192% a sua meta de US$ 10 mil para produção no financiamento coletivo junto à plataforma IndieGogo e pode ser comprado por US$ 369 (R$ 1.346 na conversão direta), com entregas previstas para março de 2019.