Dados coletados pelo Fitbit de uma vítima de assassinato ajudaram investigadores a desvendar o caso. O crime foi cometido no estado da Califórnia (EUA) por Anthony Aiello, que teria dito à polícia que havia passado na casa da enteada apenas para deixar uma pizza. Mas, com os dados da pulseira e imagens da câmera de segurança, foi possível provar que o assassinato aconteceu enquanto ele ainda estava na casa.

O Fitbit é uma pulseira inteligente de monitoração de atividades físicas. Os dados analisados pelos detetives mostravam que a frequência de batimentos cardíacos da vítima, Karen Navarra, teve aceleração exatamente às 3h20 da noite de 8 de setembro. Depois, diminuiu rapidamente até o coração parar por completo às 3h28. Além destas informações, os detetives ainda encontraram roupas ensanguentadas da vítima na posse do padrasto, que então foi preso em 25 de setembro.

Apesar de ser originalmente um aliado da saúde das pessoas, não é tão incomum que um dispositivo vestível assuma também a função de ferramenta para solução de crimes. Outros casos de assassinatos e também de violência sexual contaram com esta “testemunha silenciosa”, capaz de evidenciar acidentes e encontros criminosos, ao documentar batimentos, horários de sono, localizações e distâncias percorridas do usuário.