Preparado para a dose de distopia tecnológica do dia? Pois dê uma olhada nessa patente que foi atribuída recentemente à Motorola. Ela descreve um sistema de comunicação que pode ser utilizado em carros de polícia autônomos para garantir a condução de suspeitos e criminosos detidos pelos policiais aos locais adequados.

Os principais passos do procedimento são relativamente simples e envolvem permitir que um oficial chame o carro autônomo quando detêm uma pessoa, que seria transportada sem a necessidade de um motorista. É algo certamente possível para os carros equipados com essa tecnologia que estão sendo testados hoje por companhias como a Waymo, empresa irmã da Google.

Mas a patente vai bem além disso. Ela descreve uma série de sensores, telas e outras egenhocas que ficam dentro do automóvel e podem ser utilizadas quase como uma espécie de ‘policial robô’. Há um visor que mostra os direitos da pessoa enquanto a leitura deles é reproduzida em um sistema de som, câmera para registrar uma fotografia do suspeito, leitores de digitais e um equipamento que analisa o ar para detectar se ele consumiu drogas.

Além de tudo isso, uma assistente virtual explica o processo e permite que você entre em contato direto com um advogado ou assessor jurídico. Mas não para por aí: o carro teria um sistema de pagamentos integrado para que seja possível pagar possíveis multas ou a fiança ainda em movimento.

Na eventualidade do caso ser resolvido durante esse trajeto, é possível até que a rota seja alterada para levar a pessoa ao novo destino, que pode ser a prisão, uma delegacia ou até mesmo uma residência, a depender do procedimento. Claro, tudo teria que ser aprovado pelos agentes responsáveis.

Como ainda é apenas uma patente, é possível que essa tecnologia de comunicação nunca veja a luz do dia. Tudo vai depender da Motorola e do potencial interesse de governos em implementar essas medidas. Você pode ver a descrição completa do documento acessando este link do Google Patents.