Google já vem trabalhando há dois anos nas chamadas Unidades de Processamento Tensor (ou TPUs, em inglês), chips que usam a plataforma de código aberto para inteligência artificial (IA) TensorFlow com objetivo de fazer pequenos trabalhos autônomos. E nesta semana a companhia aproveitou o anúncio de sua chave física de segurança Titan Key para revelar o pequenino Edge TPU, um acelerador de aprendizado de máquina bem menor que uma moeda e que usa TPUs otimizadas para rodar nos dispositivos da Internet das Coisas (ou IoT).

O Edge TPU é projetado para fazer o que é conhecido como "inferência", que é realizar a tarefa para qual o algoritmo foi especificamente treinado, a exemplo de reconhecimento de objetos em imagens. Enquanto a nuvem ajuda os TPUs na parte do treinamento, os Edge TPUs executam a missão.

Eles não devem ser muito populares porque não são projetados para smartphones, e sim para a área industrial e corporativa, como checagem de controle de qualidade de produtos em serviços automatizados e repetitivos em fábricas. E qual a vantagem? Bem, a análise é mais segura, passa por menos tempo de ociosidade e oferece resultados mais rápidos. Pelo menos é o que a companhia promete.

google tpuO Tensor Processing Unit, ou Unidade de Processamento Tensor, que é bem maior que os Edge TPUs

Vale destacar que outras gigantes como a ARM, a Qualcomm, a MediaTek e a Nvidia já vêm desenvolvendo componentes para esse fim e a estratégia da Google com a novidade é seduzir os clientes com seu ecossistema. Diferente da concorrência, ela pode oferecer o armazenamento na nuvem Google Cloud, o treinamento de TPUs e, agora, os Edge TPUs — com a codificação acessível via TensorFlow.

Lançamento vem com kit de desenvolvimento

Outro chamariz para os consumidores é que o Edge TPU vem com um conjunto de desenvolvimento que facilita o teste da capacidade do hardware e como ele pode se ajustar melhor às características dos produtos. O kit inclui um módulo de sistema, uma CPU NXP, um componente de segurança e conexão WiFi. Ele pode se conectar via USB ou slot de expansão PCI Express.

Como a Google é muito cuidadosa com o acesso à sua IA, tudo isso ainda está em fase beta e é preciso se inscrever para experimentar a coisa toda. “Os Edge TPUs são projetados para complementar nossa oferta Cloud TPU e que você possa acelerar o treinamento de aprendizado de máquina na nuvem com uma inferência mais rápida. Seus sensores se tornam mais do que coletores de dados — eles tomam decisões inteligentes locais e em tempo real”, explica o vice-presidente de Internet das Coisas da Google Cloud, Injong Rhee.

Cupons de desconto TecMundo: