Cochlear é uma empresa australiana especializada em implantes auditivos e há mais de 8 anos a marca se uniu com a Apple para desenvolver um equipamento auditivo que funcionasse de forma integrada ao iPhone.

O primeiro resultado da parceria veio a público já em 2015 com o lançamento do processador de som Baha 5, capaz de decodificar som para pessoas que haviam perdido tal capacidade. 

Em 2017 a união das marcas apresentou ao mercado o processador Nucleus 7 sound processor, que dispensa a necessidade de dispositivo adicional. Até então, todos os modelos de implantes necessitavam se conectar aos aparelhos portáteis por meio de Bluetooth, o que não é mais necessário agora.

O aparelho é responsável por garantir acesso ao mundo digital a pessoas com perda auditiva em níveis avançados. Para quem apresenta problemas menores de audição, o funcionamento do dispositivo não é tão significante.

Graças ao Nucleus 7 atividades bastantes corriqueiras, que até então eram impossíveis, como fazer ligação telefônica, ouvir música ou se orientar por meio de GPS tornaram possíveis a este grupo específico de usuários. Além de viabilizar as atividades, o processador permite controlar níveis do som que chega ao ouvido pelo próprio smartphone. 

Projeto com Cochlear é parte de interesse maior da Apple na área da saúde

Em entrevista recente, o diretor técnico da marca australiana Cochlear, Jan Janssen, fala sobre o trabalho conjunto desenvolvido com a Apple. Jan Janssen destaca o interesse da gigante da informática em desenvolver soluções que possam melhorar a saúde das pessoas através da tecnologia.

Segundo ele, o interesse da empresa em soluções inovadoras como esta está além do foco econômico, tendo em vista que o desenvolvimento de tais equipamentos deve beneficiar uma fatia pequena de consumidores.