Quem jogou videogame nos anos 1990 sabe como o anúncio de uma nova geração de consoles criava expectativa. Podiam surgir novos controles ou jogos, mas os gráficos eram o motivo de grande parte da empolgação.

Atualmente, chegamos a um nível de qualidade em que esse já não é necessariamente um ponto tão relevante. Hoje, apesar de GPUs simples conseguirem rodar a maioria dos títulos de forma satisfatória, ainda existem aficcionados em qualidade e frames por segundo, que procuram sempre o que há de mais recente e avançado no mercado.

Diferença nos detalhes

Como atualmente GPUs medianas conseguem se manter a uma distância não tão grande das mais potentes, as novidades aparecem nos detalhes. Os jogos AAA são uma grande vitrine para que as últimas versões de placas de vídeo mostrem todo o seu potencial gráfico. Esses títulos recebem mais atenção e investimento por parte das desenvolvedoras, resultando sempre em alta qualidade em todos os aspectos.

As últimas notícias sobre o assunto foram publicadas no PCGamesN, que informou o desenvolvimento de um novo método de renderização de cabelos, utilizando IA (Rede Neural Profunda), desenvolvido por uma parceria envolvendo a Universidade do Sul da Califórnia, a Pinscreen e a Microsoft.

NVIDIA e AMD já possuem suas técnicas próprias para renderizar cabelos, funções presentes em jogos AAA, mas que afetam seriamente a performance quando utilizadas.

Enquanto esse sempre foi um problema para desenvolvedores, por utilizar uma boa parte do poder de processamento das placas, os pesquisadores acreditam que sua solução, empregando IA e redes neurais, pode solucionar esse problema. O sistema ainda está em desenvolvimento, mas, treinando o algoritmo e expandindo a base de dados, eles esperam que a solução seja usada comercialmente.

Atualmente, os jogos que utilizam a tecnologia da NVIDIA, chamada HairWorks, são: The Witcher 3: Wild Hunt, Far Cry 4 e Call Of Duty: Ghosts. Além dessa função já disponível, a empresa vem trabalhando com processadores focados em redes neurais, o Tensor Core, que pode ser uma grande vantagem quando o algoritmo se tornar disponível.