Galaxy S9 é um smartphone formidável, com recursos de última geração e, assim como seus antecessores, é um sucesso e referência de tendências no mercado. Mas por que o aparelho não vendeu tanto quanto a Samsung esperava? E será que isso significa uma baixa na linha para as próximas temporadas? O pessoal do Mashable fez uma análise interessante a respeito desse cenário.

Samsung registrou primeira queda entre os trimestres nos últimos anos por conta de vendas do S9 abaixo das expectativas

Galaxy S7 é até hoje considerado o best-seller da sul-coreana, com nada menos que 50 milhões unidades vendidas em 2016. Ao distribuir pela primeira vez duas versões com diferenças de tamanhos, a exemplo do que a Apple fez com o iPhone 6 e o 6 Plus em 2014, a Sammy conquistou um espaço de destaque no mundo todo.

Já o S9 trouxe uma câmera ligeiramente melhor, leitor biométrico mais bem posicionado, recurso de desbloqueio facial, alto falantes estéreo e emojis em realidade aumentada. Ou seja, são poucas melhorias em relação ao S8. De acordo com o Financial Times, sua comercialização abaixo da expectativa registra a primeira queda nos lucros da companhia em relação ao trimestre anterior, de 5,4% — ainda que o acumulado anual tenha alta de 5,2%.

SAMSUNG

E qual seria o grande motivo por trás de tudo isso? A resposta pode ser bem mais simples do que todos imaginam.

Usuários estão demorando mais para substituir seus telefones

Basta observar que os números da Apple também caíram nesta temporada para notar que a questão não envolve somente a Samsung. A qualidade dos aparelhos, assim como sua durabilidade, em geral aumentou em relação às gerações anteriores. Além disso, depois de tanta reclamação, o suporte de software também tem se prolongado em versões que ficam por aí por mais tempo.

Sammy já enfrentou problemas com o S5 e o Note 7 e conseguiu se sair bem

Isso leva a um quadro em que não há tantas justificativas para quem o dono de um aparelho top de linha desembolse pelo menos US$ 700 (R$ 2729 na conversão direta) para ter a atualização de seu flagship. Mas quer dizer que o S9 já mostra um declínio para os próximos dispositivos da Sammy? Bem, não dá para cravar isso, até porque ela conseguiu driblar momentos de crise no passado recente. O S5, por exemplo, foi ridicularizado pelo seu design com plástico e no ano seguinte o S6 foi celebrado com um mescla de metal e vidro que agradou.

E como não lembrar do fiasco com as baterias explosivas do Note 7? Ainda assim, o Note 8 se saiu bem e agora muita gente espera um Note 9 ainda promissor. Talvez o mercado é que precise mesmo realinhar seu calendário para controlar sua própria saturação. Enquanto isso, continuamos observando como a Samsung, que já teve seus momentos de baixa, recupera-se novamente com produtos capazes de manter seus fieis seguidores.