Graças a uma falha que aparentemente não pode ser corrigida no Switch, o console já está sendo usado por pessoas que querem usá-lo para jogar games antigos ou reproduzir os recursos do SNES Classic. Em resposta, a Nintendo decidiu tomar uma medida drástica: banir de seus serviços online quaisquer pessoas que desbloquearem o gadget.

Switch rodando o Linux

Até o momento não está claro quantas pessoas já foram banidas, mas entre elas está o hacker Shiny Quagsire, que tem ganhado destaque por suas contribuições à cena homebrew do Switch. Com isso, ele não poderá mais acessar conteúdos do eShop, tampouco jogar games como Mario Kart 8 Deluxe e Splatoon 2 online, mesmo que tenha adquirido cópias originais desses títulos.

Banimentos são baseados em contas usadas

O que é interessante da situação de Shiny é que, aparentemente, o console que foi banido não havida sofrido qualquer espécie de modificação ou hack. Em outras palavras, parece que a Nintendo é capaz de verificar todos os aparelhos usados por contas que se envolveram com hacks, mesmo que elas sejam usadas em dispositivos que não sofreram qualquer alteração — ou seja, o banimento se baseia em cada Nintendo Account, e não em cada hardware.

Nintendo Switch

A decisão da empresa japonesa é semelhante à de empresas como Sony e Microsoft, que decidiram banir do mundo online quem desbloqueou aparelhos como Xbox 360 e o PlayStation 3. Em outras palavras, caso você deseje usar o Switch para algo além do que foi planejado pela fabricante, é uma boa ideia manter uma conta separada para o aparelho hackeado, já que não deve demorar muito tempo até que ela seja banida do mundo online sem chance de volta.

Nintendo começa a banir de rede online quem está hackeando o Switch via Voxel

Cupons de desconto TecMundo: