Todo mundo que tem ou já usou um smartwatch sabe que uma de suas grandes limitações é o pouco espaço disponível da tela sensível ao toque. Muitos projetos tentaram encontrar uma forma de “esticar” o display pelo braço ou na palma da mão, mas nenhum conseguiu o que o LumiWatch faz com tanta precisão e funcionalidade: o gadget usa projetor a laser e vários sensores, combinados com aplicações, que conseguem rastrear e projetar uma área uniforme e interativa na superfície irregular do braço.

“Display” tem resolução de 1024 x 600 pixels e roda com Android 5.1

A tecnologia vem sendo desenvolvida por pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, na Pensilvânia, Estados Unidos. A equipe vem trabalhando em parceria com a ASU Tech Co. Ltd., na China, e conseguiu até agora criar um protótipo completamente funcional de relógio de 50 milímetros, um pouco maior que os Apple Watch, de 42 milímetros.

smartwatch relógio

A “tela” é  criada a partir de feixes de 15 lúmen e as informações são captadas por uma matriz de 10 componentes. Em seguida, elas são processadas por uma CPU quad-core rodando Android 5.1. A bateria tem autonomia de um dia inteiro de uso esporádico ou uma hora contínua. A imagem gerada no corpo tem resolução de 1024 x 600 pixels e até agora os criadores têm conseguido superar uma das maiores dificuldades em um conceito como esse, que é desenhar o retângulo tátil em um ângulo baixo e sobre uma área irregular e curva.

Mix de hardware e software é o segredo do sucesso

Gerar uma imagem que não se deforma completamente em tipos completamente distintos de braços só é possível graças ao software customizado e ao hardware de processamento gráfico, que conseguem remover a distorção e projetar a tela de maneira uniforme em toda a extensão do braço do usuário.

Uma das grandes sacadas por aqui é a calibragem, que não requer aqueles incômodos e repetitivos testes para mapear a posição. Os sensores conseguem rastrear o dedo enquanto o usuário desliza “desbloqueio de tela” e o usa como referência para ajustar automaticamente a localização e o tamanho.

O projeto também ganha pontos quando se fala em custos de produção, que giram em torno de US$ 600 — um preço próximo dos Apple Watch. O único empecilho atualmente é que o “relógio-projetor” ainda é difícil de ser montado em escala comercial e não há previsão de quando ele possa chegar ao mercado.