Depois de emplacar o Kindle e de popularizar os assistentes digitais com o Echo, a Amazon agora quer mais: de acordo com fontes quentes do Bloomberg, a companhia de Jeff Bezos estaria trabalhando em um robô para o lar, apelidado de “Vesta” — uma referência à deusa grega do fogo sagrado, da pira doméstica e da cidade.

Vários cargos relacionados estão com vagas abertas no Lab126, a divisão da Amazon responsável pelo robô

O projeto vem sendo tocado em segredo por Gregg Zehr, chefe do departamento de pesquisa de hardware Lab126, que fica em Sunnyvale, na Califórnia. Foi essa divisão que desenvolveu os Echo, os set-up-boxes Fire TV, os tablets Fire e os já esquecidos Fire Phones. A ideia dos Vesta surgiu há alguns anos, mas agora é que as coisas parecem estar se concretizando, com o anúncio de várias vagas para o Lab126, a exemplo de “Engenheiro de Software para Robótica” e “Engenheiro de Sensores de Princípios”.

Segundo as pessoas informadas sobre o plano, a empresa espera começar os testes com autômatos nas casas dos funcionários até o final deste ano e chegar aos consumidores em 2019, embora o cronograma possa mudar e muitos conceitos da gigante varejista às vezes morram durante a fase de gestação. Um porta-voz da companhia disse que “a empresa não faz comentários sobre rumores e especulações".

Como seria esse robô da Amazon?

Ainda não está muito claro como seria o Vesta ou o que ele poderia fazer. As fontes ligadas ao projeto especulam que ele deva ser como uma “Echo móvel”, ou seja, capaz de realizar todas as tarefas dos alto-falantes inteligentes e também de se guiar automaticamente pela casa, a partir de uma tecnologia de mapeamento e direção que lembra os carros autônomos.

Expectativa é de que o mercado de autômatos para o lar gere até US$ 15 bilhões por ano até 2023

Avanços nas áreas de visão computacional, câmeras, inteligência artificial e ativação por voz podem assegurar vantagem para a Amazon no setor de robôs domésticos, especialmente agora que a companhia abriu possibilidade de pagamento parcial de seus dispositivos para os assinantes Prime. De acordo com pesquisa da Research and Markets, a expectativa é de que o mercado de autômatos para o lar gere até US$ 15 bilhões por ano até 2023 e nesta temporada a arrecadação deve ser de cerca de US$ 5,4 bilhões.

Mas, antes de chegar ao sucesso, a Amazon terá que vencer vários desafios, como diminuir os altos custos de produção e abordar questões sobre privacidade e segurança — já que, como sabemos, tudo que está conectado fica suscetível à invasão e roubos de dados.

amazon echo

Vale lembrar que a vontade de levar para os lares um robô que realiza tarefas e faz companhia para seus donos é antiga. Nas primeiras tentativas, nos anos 80, os assistentes metálicos pouco faziam e até hoje os que estão nas prateleiras têm poucas ações para oferecer. O investimento da Amazon e de companhias orientais, a exemplo da Sony e da LG, pode mudar drasticamente esse setor nos próximos anos.