inteligência artificial finalmente chegou para ficar. Sistemas dos mais complexos possíveis e utilizados por milhões e milhões de usuários usam machine learning para aprender a fazer as coisas mais de acordo com o gosto e o perfil das pessoas e muitos dispositivos já estão rumando para se focar – e muito – nessa tecnologia.

Entrando nessa onda toda, a ARM revelou o projeto Trillium, uma combinação de elementos de hardwaresoftware projetados especificamente para acelerar tecnologias relacionadas à inteligência artificial, como machine learning e redes neurais. Vão ser dois chips: o ARM ML e o ARM OD, cada um com suas especificidades.

Especificidades

A tecnologia, porém, só vai estar disponível a partir do meio de 2018, com as primeiras demonstrações começando apenas em abril

O ARM ML pretende ser muito mais eficiente para machine learning do que um processador comum ou placas gráficas, com duas a quatro vezes a taxa de transferência do mundo real. Já o ARM OD tem como foco a detecção de objetos. Pode detectar objetos "praticamente ilimitados" em tempo real, 1080p e 60 fps, e se concentra em pessoas em particular, reconhecendo rostos, identificando expressões, poses e gestos. A parte do software fica com o ARM NN, que serve de intermediário para estruturas de redes neurais e explora por completo os processadores.

A tecnologia, porém, só vai estar disponível a partir do meio de 2018, com as primeiras demonstrações começando apenas em abril. Como a ARM não fabrica de fato chips, mas apenas desenvolve a tecnologia que vai estar presente neles, depende também de outras empresas, como Qualcomm, Samsung e outras para criar os processadores que vão representar o futuro da inteligência artificial em dispositivos móveis.

Cupons de desconto TecMundo: