Em um mundo onde demanda é tudo, um novo mercado exige novos produtos específicos para o seu desenvolvimento. É exatamente por isso que a Samsung, agora a maior produtora mundial de processadores, vai começar a produzir hardware especialmente para os mineradores de criptomoedas como o Bitcoin, uma tarefa que exige um poder de processamento extremamente alto para dar frutos proveitosos.

O negócio de fundição da Samsung está atualmente envolvido na fabricação de chips de mineração de criptomoedas

A mineração de moedas virtuais vem aumentando vertiginosamente a cada dia com a popularidade crescente desse mercado. Processadores e placas gráficas poderosas são utilizadas para realizar essa tarefa e, em alguns casos, golpistas utilizam indevidamente computadores de usuários descuidados para ganhar dinheiro.

Mina de ouro

A Samsung enxerga que existe um grande mercado a ser explorado na produção de chips ASIC para a mineração de criptomoedas, mas não revela quem seriam os principais interessados nessa nova área. Um porta-voz da empresa disse à publicação TechCrunch: “O negócio de fundição da Samsung está atualmente envolvido na fabricação de chips de mineração de criptomoedas. No entanto, não podemos divulgar mais detalhes sobre nossos clientes”.

Grandes empresas chinesas, como a Bitmain e a Canaan Creative, são forte consumidoras de chips ASIC para mineração de criptomoedas e utilizam dispositivos fabricados pela TSMC, de Taiwan, que reportou um aumento de US$ 350 mil a US$ 400 mil, ou de R$ 1,1 milhão a R$ 1,2 milhão, em sua receita trimestral, tudo por causa do aumento da popularidade do dinheiro digital.

a

O tipo de processador que vai ser fabricado pela Samsung é o ASIC, ou Application-Specific Integrated Circuit (circuitos integrados específicos para aplicações). Trata-se de um tipo de chip que tem apenas uma função específica, como o nome já diz, e diferenciam-se bastante dos processadores que conhecemos melhor e ficam dentro de nossos computadores, que podem realizar tarefas bastante diversas.