Philips tem uma reputação no mercado de dispositivos de áudio e normalmente oferece um bom custo-benefício nesse segmento. Eu mesmo já comprei fones de ouvido da marca por algo em torno de R$ 100 que tinham muito mais qualidade de som do que um JBL de R$ 200 que tive o desprazer de adquirir há pouco mais de um ano. Por isso, quando recebi a caixa de som portátil EverPlay BT6900A para analisar, eu já esperava algo que soasse bem e custasse pouco.

Parte dessa expectativa foi alcançada pelo aparelho durante meu tempo de testes com ele, mas, antes de chegarmos às conclusões, vamos considerar algumas coisas importantes: design, qualidade de construção, portabilidade, funcionalidade e — naturalmente — qualidade de som.

Eu gosto do design do EverPlay BT6900A da Philips

Começando pelo primeiro ponto, posso dizer com segurança que eu gosto do design do EverPlay BT6900A da Philips, apesar de estar ciente de que não se trata da caixa de som portátil mais bonita do mercado nessa faixa de preço. A própria JBL tem opções mais arrojadas nesse sentido, mas isso não desmerece o visual desse aparelhinho sobre o qual vamos falar hoje.

Eu gosto da forma como os controles de reprodução são posicionados na lateral direita. É bem fácil apertá-los, e o estilo da coisa toda “orna” muito bem. Mas o detalhe do design que mais chama atenção é a alça que vira um cabo USB para carregamento do aparelho. É só você destacar o clipe para ver uma ponta USB comum e outra micro USB. Na lateral oposta aos controles, você tem uma conexão para carregamento e uma entrada de áudio auxiliar para plugues de 3,5 mm.

alto-falante bluetooth

Construção

Boa parte do EverPlay é revestida com um tecido emborrachado que dá esse aspecto quadriculado que você confere nas imagens. Ele é bem resistente, não risca, não rasga com facilidade e, como é feito em boa parte de borracha, não esfiapa. As laterais são construídas com uma borracha macia que não vai resistir a objetos afiados, mas encara muito bem qualquer queda ou fricção com outras coisas dentro de uma mochila, por exemplo.

No geral, o produto é bem rígido e passa uma ótima sensação de qualidade ao toque, mas o tecido é meio solto da carcaça. Se você dar uma arrastada com força, ele se movimenta um pouco. Caso você esteja levando o EverPlay na mão em uma trilha ou algum ambiente mais extremo, talvez ele não passe tanta segurança por conta desse detalhe. Mas isso não quer dizer que o tecido corre o risco de sair do aparelho. De forma alguma. Apesar de escorregar, ele está bem afixado em todas as bordas.

alto-falante bluetooth

O tamanho do alto-falante portátil é outro ponto positivo. Ele cabe em qualquer bolsa ou mochila sem ocupar muito espaço, e, caso você tenha um bolso grande, daqueles de bermudas mais largas, ele também cabe ali. Segundo a Philips, esse EverPlay consegue 10 horas de autonomia executando músicas, mas nós experimentamos algo entre 8 e 9 horas com som mediano. Ainda assim, é uma boa marca e, caso você ouça música nesse aparelho esporadicamente, a bateria vai durar semanas, quando não meses.

Carregando direto no PC, é necessário esperar mais de 5 a 6 horas para completar os 2.400 mAh

Ainda sobre a bateria, esse dispositivo conta com o padrão Quick Charge 3.0 da Qualcomm. Isso quer dizer que ele consegue ter a bateria recarregada em pouco tempo. Mas, como ele não vem com um carregador na caixa, você terá que depender do carregador do seu smartphone para isso. Vale lembrar que esse carregador precisa ser compatível com o mesmo padrão para o carregamento rápido acontecer.

Nos nossos testes, conseguimos completar a carga em menos de uma hora o carregador rápido do Galaxy S8, mas para sair de 0% a 100%, você precisa de 90 minutos segundo a Philips. Carregando direto no PC, é necessário esperar mais de 5 a 6 horas para completar os 2.400 mAh. Com um carregado de celular comum, o tempo médio é 3 horas.

Música via Bluetooth ou auxiliar

Na questão da funcionalidade, o EverPlay da Philips é relativamente simples. Ele só tem conexão Bluetooth 4.0 e auxiliar via P2. Portanto, é possível conectá-lo a smartphones e tablets que também possuam Bluetooth, bem como a qualquer outro equipamento que use aqueles cabos para fones de ouvido, com plugue de áudio de 3,5 mm. Como estamos falando de algo portátil e relativamente básico, não espere nenhuma conexão mais moderna, como Google Cast, WiFi ou AirPlay.

Apesar de ter uma conexão micro USB pela qual você consegue conectar o aparelho a um PC, ele não tem armazenamento interno e não permite guardar músicas em MP3 para ouvir posteriormente. Ainda assim, quando conectado, ele mostra um indicador de carregamento ao lado do botão power. Dando um toque simples nesse botão, você pode conferir também quanto de bateria ainda resta no alto-falante.

Esta não é bem uma funcionalidade, mas vale destacar que o EverPlay tem certificação IP57, o que lhe garante resistência à água. Mas isso não significa que você pode enfiá-lo dentro de uma piscina. Ele dá conta apenas chuva e de alguns respingos. Isso é ótimo para quem pretende usar o dispositivo ao ar livre, mas o interessante mesmo é que ele consegue resistir a um mergulho emergencial sem maiores problemas.

caixa de som bluetooth

Qualidade de som

O Philips EverPlay BT6900A tem um driver de longo alcance de 2’’ e um radiador passivo de 2’’. Com isso, ele consegue 10W de potência variando em frequências entre 85 e 2000 Hz. Por conta do tamanho reduzido, ele tem som mono, mas, na minha experiência, essa característica não ficou tão aparente.

Isso porque a claridade ou a boa definição do som é bem evidente nesse aparelho da Philips. Diferente de dispositivos como o JBL Flip 4, por exemplo, você consegue identificar com bastante facilidade a separação de instrumentos principais em músicas, e o som tem um aspecto geral mais “aberto”. O concorrente da JBL custa essencialmente o mesmo preço, mas soa um pouco mais abafado.

Philips EverPlay BT6900A

Por outro lado, o concorrente consegue executar graves com melhor qualidade. Em uma música com mais “batidas”, por exemplo, o EverPlay da Philips fica para trás, deixando os graves um tanto artificiais.

Na minha opinião, entretanto, isso não chega a comprometer a qualidade geral do som desse aparelho da Philips. Até porque os graves não são completamente planos. Eles ainda estão ali. Só percebe a falha quem tiver muitos alto-falantes do tipo para comparar. Alguém como um audiófilo também identificaria essa dificuldade.

Você consegue ouvir as músicas com boa qualidade mesmo não estando diretamente de frente com o dispositivo

A dispersão de som do EverPlay BT6900A também é boa, e você consegue ouvir as músicas com boa qualidade mesmo não estando diretamente de frente com o dispositivo. No geral, entretanto, é preciso admitir que o perfil de som não é perfeito, mas considerando concorrentes como Flip 4 da JBL — que custa mais ou menos a mesma coisa —, eu ainda prefiro a opção da Philips. A claridade do som me agrada mais do que a quantidade de graves.

Em um mundo justo, o EverPlay BT6900A custaria algo em torno de R$ 300, mas, no comércio virtual, ele custa entre R$ 399 e R$ 449. Infelizmente, a Philips só vende as verões azul e preto do EverPlay BT6900A no Brasil, contra três ou quatro opções de cor do principal concorrente. Portanto, se você estava procurando algo mais chamativo, esse alto-falante aqui talvez não faça o seu tipo no quesito design. Ainda assim, eu acredito que esse produto vale mais a pena considerando o preço dele e dos competidores. 

Onde comprar: Saraiva por R$ 449,10

Cupons de desconto TecMundo: