A realidade mista é uma das grandes apostas da Microsoft para o futuro, e a empresa conta com o apoio de várias gigantes da tecnologia para tentar popularizar essa ideia. Em postagem no blog oficial da companhia, o technical fellow da empresa Alex Kipman escreveu sobre os desafios e os próximos passos da MS para levar a tecnologia cada vez mais longe.

Antecipando algumas das novidades que serão melhor detalhadas durante a IFA 2017, que acontece nesta semana em Berlim, na Alemanha, Kipman destacou alguns pontos cruciais para a empresa nessa empreitada. Ele tratou sobre a importância da intuitividade no processo e também sobre como a Microsoft pretende oferecer produtos acessíveis, variados e imersivos.

Conecte e use

Diferente de outros aparelhos do gênero, a Microsoft não aposta em métodos que demandem a utilização de sensores externos, afinal a ideia é descomplicar todo esse processo. A companhia afirma que os próximos aparelhos com a sua tecnologia lançados neste ano por empresas como HP, Lenovo, Acer e Dell terão como diferencial também a praticidade na hora de instalar e usar.

“É por isso que os headsets Windows Mixed Reality que chegam no fim do ano serão os primeiros a oferecer experiências de VR com sensores integrados para rastrear sua posição física sem exigir que você compre e instale sensores externos em sua casa”, escreve Kipman. “Você não precisa passar horas configurando um cômodo em sua casa com um grande espaço de jogo, apenas conecte e use.”

Acessível

Outros destaques dados por Alex Kipman ao falar sobre os próximos gadgets de mixed reality da Microsoft envolvem a intenção de comercializá-los a “preços acessíveis” e de forma variada. Em relação a valores, a ideia é que um pacote com headset e controle de movimento custe a partir de US$ 399 e funcione com PCs que custarão a partir de US$ 499. “Com os nossos parceiros, estamos empenhados em tornar a realidade mista acessível”, afirma o representante da MS.

Aqui, é importante ressaltar que “acessível” é sempre relativo às demais opções do gênero quando se fala em dispositivos de realidade virtual. O mais barato de todos, o Oculus Rift, custa atualmente US$ 399, enquanto um de seus rivais, o HTC Vive, teve preço reduzido para US$ 599. Além disso, as máquinas aptas a receberem esse tipo de dispositivo também custam bem caro, algo que a Microsoft também espera mudar.

Variado e imersivo

Segundo a Microsoft, neste fim de ano será possível escolher entre dois tipos de PCs para trabalhar junto de um dispositivo de realidade mista da empresa: os Windows Mixed Reality PCs e os Windows Mixed Reality Ultra PCs. Enquanto os primeiros têm gráficos integrados e rodam conteúdo a 60 fps, os últimos contam com gráficos distintos e rodam a 90 fps.

“Ambas as configurações apoiarão as experiências imersivas de vídeo e de jogos atuais, como viajar para um novo país, explorar o espaço, nadar com golfinhos ou atirar em zumbis”, escreve Kipman.

Microsoft anuncia uma série de parcerias com desenvolvedoras e avisa que até mesmo o Steam terá suporte para os seus próximos dispositivos de realidade aumentada

Por fim, a Microsoft anuncia a primeira onda de parceiros para a sua plataforma de realidade mista, o que inclui uma série de desenvolvedoras de jogos e de apps de entretenimento. Além disso, a empresa se junta à 343 Industries “para trazer as futuras experiências Halo em realidade mista”, mas sem dar muitos detalhes sobre esse movimento em específico.

A grande novidade nesse aspecto, porém, é o suporte a conteúdos de realidade virtual/aumentada do Steam, a plataforma de distribuição digital de jogos mais famosa do mundo. “Os entusiastas da realidade virtual sabem que o Steam é um ótimo lugar para desfrutar de experiências de imersão de ponta. Mal podemos esperar para levar esse conteúdo até você”, completa Kipman.

Cupons de desconto TecMundo: