Já faz algum tempo que a AMD atualizou sua linha de placas Polaris, sendo que, há quase dois meses, nós testamos a tão comentada Radeon RX 570 e ficamos surpresos com os resultados.

Agora, no embalo das vendas disparadas, a ASUS nos enviou uma Radeon RX 580 para conferir todo o potencial dessa nova geração que virou febre entre os mineradores de bitcoins.

É importante frisarmos de antemão que a Radeon RX 580 é praticamente um refinamento da placa lançada no ano passado, ou seja, é como se fosse uma RX 480 com ajustes finos, para entregar ainda mais performance ao jogador.

Devido à tal similaridade com a placa do ano anterior, essa peça é focada em gamers que já têm um computador robusto, mas que cuja placa de vídeo pode estar um tanto desatualizada — com dois ou mais anos de uso. A ideia aqui é renovar a arquitetura e extrair o máximo que ela tem para oferecer em todas as situações possíveis.

Em teoria, essa nova peça é o que muitos chamam de “rebranding”, nome utilizado para denominar a estratégia de mudança de nome com pequenos ajustes de peças ou especificações. Assim, a nova RX 580 é uma placa bem similar à RX 480, porém apresenta melhorias pontuais que visam entregar alguns diferenciais em desempenho.

A inovação um tanto limitada aqui, notável apenas pelo pequeno salto em desempenho, geralmente é um fator que incomoda os consumidores, já que não existe um motivo claro para um upgrade. Todavia, essa não é uma tática problemática, já que ainda existem algumas melhorias e também por ser um produto que vai encontrar um público bem específico.

Aliás, curiosamente, ao contrário do que se poderia imaginar, a Radeon RX 580 tem vendido de forma extraordinária. Contudo, o motivo é a alta na mineração de bitcoins, atividade que exige alta capacidade de computação, algo bem extraordinário nessa placa — ainda mais dado o custo-benefício atraente.

Hoje, no entanto, nós vamos conferir um pouco dessa Polaris melhorada nos jogos. A ASUS nos emprestou a Radeon RX 580 Strix OC Edition com 8 GB de memória. Ela vem com uma nova tecnologia de refrigeração, sistema de iluminação diferenciado e overclocking de fábrica para uma performance elevada. Será que essa pode ser sua nova placa de vídeo?

Especificações

Uma placa enorme e linda

Como já era de se esperar, a ASUS desenvolveu nessa geração uma placa bastante similar à da geração passada e também às versões lançadas recentemente na série Strix. É claro que a Radeon RX 580 Strix tem diferenciais no design, porém muitos detalhes só são perceptíveis no interior da placa, sendo que a carcaça ainda tem muita similaridade com a RX 480 Strix.

A Radeon RX 580 Strix é uma placa bem grande, que até excede as dimensões já apresentadas na série passada. As medidas de largura e altura são idênticas às de sua antecessora, porém a espessura é notavelmente maior, algo que se deve ao sistema de dissipação reforçado. O peso também é meio exagerado e pode ser um tanto preocupante.

A carcaça plástica conta com vários elementos já vistos anteriormente na série Strix, principalmente os frisos, os relevos, as retas cruzadas e os arranjos que deixam o visual realmente robusto. As ventoinhas do tipo Wing Blade se encaixam perfeitamente nesse design, ainda mais que elas recobrem totalmente os enormes dissipadores.

Quanto à iluminação, novamente a ASUS dá show ao apresentar um sistema de luzes bem completo e personalizado. A parte superior com o ícone ROG, a lateral com o logotipo Republic of Gamers e os vários arranjos próximos às ventoinhas brilham com diferentes cores e efeitos, sendo possível configurar tudo pelo software da fabricante.

É importante notar que estamos tratando aqui de uma configuração de iluminação com tecnologia RGB, o que significa que você pode configurar sua placa para brilhar na mesma cor de outros componentes do seu gabinete. Além disso, é possível sincronizar os efeitos dos LEDs com o de outras peças que sejam compatíveis com a funcionalidade AURA SYNC.

O backplate na parte de cima é um componente que também merece destaque, pois ajuda bastante na proteção dos componentes e ainda pode servir para dissipar melhor o calor. A ROG RX 580 Strix vem com uma saída DVI, duas portas HDMI e duas conexões DisplayPort, sendo então uma placa preparada para quase todas as configurações de telas.

Conheça a Radeon RX 580

A Radeon RX 580 é a nova placa de vídeo top de linha da família Polaris. Apostando novamente no sistema de fabricação de 14 nanômetros, a AMD pôde incluir 5,7 bilhões de transistores no processador, os quais são programados para trabalhar com clock elevado (a placa de referência roda com frequência base de 1.257 MHz e turbo de até 1.340 MHz).

Segundo a Radeon, assim como sua antecessora, a placa RX 580 é projetada especialmente para trabalhar com APIs de baixo nível, ou seja, que dão acesso direto ao hardware. Ela promete alto desempenho com jogos que já usam os novos recursos do DirectX 12 e do Vulkan.

Os incrementos na arquitetura Polaris permitiram um acréscimo no desempenho geral da placa, que sobe de 6,17 TFLOPS para 6,26 TFLOPS. Isso foi possível basicamente pelo aumento no clock da GPU, já que outros componentes não foram alterados nessa atualização.

Apesar de ser uma evolução em questão de performance, a RX 580 apresenta um retrocesso em termos de consumo de energia. A potência típica da placa (o famoso TDP) subiu de 150 watts para 185 watts. Isso não deve ser um grande transtorno na conta de energia elétrica, mas é algo que vale ser mencionado de antemão.

AMD FreeSync

Já tem algum tempo que a AMD apresentou o FreeSync, que garante permissão à placa de vídeo para controlar a taxa de atualização do monitor, conseguindo, com isso, aumentar a fluidez das imagens. Trata-se de um sistema de sincronização incrementado, que funciona para evitar inconvenientes durante a jogatina.

Ao contrário do G-Sync, da NVIDIA, esse sistema não exige um hardware proprietário incluído no monitor para funcionar, pois o FreeSync aproveita as especificações do padrão DisplayPort para fazer isso. Contudo, você precisa ter um monitor capaz de oferecer essa tecnologia para ativá-la em sua placa de vídeo.

A Radeon RX 580 é uma placa bem robusta que dá suporte para essa tecnologia, portanto é uma boa opção para quem já pretende investir em um display mais potente. Ela deve alcançar bom desempenho e, assim, consegue aproveitar as altas taxas de atualização de monitores compatíveis, combinando perfeitamente com monitores que funcionam na faixa de 30 a 75 Hz.

Radeon Chill: a grande novidade da série RX500

Apesar de a atualização da série Polaris ser mais focada em melhorias de clocks, a AMD fez um esforço para levar uma nova tecnologia que promete muitos benefícios ao usuário. A grande novidade das Radeon RX 570 e RX 580 é a ferramenta Radeon Chill, um recurso de software que visa diminuir o consumo excessivo de GPU sem afetar a experiência para o jogador.

Através de um algoritmo que monitora as atividades do usuário durante os games, o programa da Radeon pode determinar a velocidade das ações na tela. Assim, se o jogador ficar parado, o software percebe que quase tudo na tela não apresenta movimento e, automaticamente, reduz a carga de processamento para poupar energia.

Quando o usuário está no campo de batalha e há muitos elementos em ação na tela, o Radeon Chill responde de forma imediata para aumentar as taxas de frame e preservar a performance máxima para o jogador. Nessas ocasiões, o consumo pode voltar próximo ao normal, mas é possível que o algoritmo consiga poupar alguns recursos.

Os benefícios do Radeon Chill são ainda mais evidentes em jogos leves. Normalmente, uma placa de vídeo poderia processar um game simples a mais de 100 ou 200 fps, o que é um desperdício de recursos e energia, uma vez que o jogador não aproveitará esses quadros. Assim, o software limita esse exagero, poupa energia e mantém temperaturas baixas.

Sistema de refrigeração eficiente

Com um novo sistema de refrigeração, a ASUS RX 580 Strix roda com temperaturas próximas aos 65 graus na hora dos games. Os valores estão dentro do aceitável, e nem mesmo em testes mais estressantes notamos picos acima de 70 graus. Com o programa FurMark, nós vimos o máximo de 66 graus.

Essa incrível performance é possível graças às novas ventoinhas com tecnologia Wing Blade, que aumentam a pressão de ar em até 105%. Vale notar que é possível que toda essa vantagem em ventilação gere algum incômodo, ainda mais quando a ventoinha está em potência máxima e pode gerar mais ruídos.

Outros benefícios aqui são a área de dissipação, que aumentou cerca de 40%, o que realmente ajuda na hora de refrigerar o chip gráfico, e a certificação IP5X para impedir que a poeira fique acumulada nas ventoinhas.

Em modo ocioso, a ASUS RX 580 Strix se sai muito bem, mantendo temperaturas próximas a 30 graus. Vale notar que todos os testes foram realizados com o gabinete Corsair Carbide Series AIR 540, que é bem espaçoso e conta com várias ventoinhas. O ambiente para os testes tem temperatura controlada por ar-condicionado.

Testes de desempenho

Para conferir o desempenho da placa de vídeo em situações práticas, realizamos uma série de testes que você possivelmente faria em seu computador.

As configurações de vídeo foram definidas para o nível mais elevado, incluindo filtros, mas o V-Sync foi mantido desativado.

Máquina de testes

  • Sistema: Windows 10 Pro
  • CPU: Intel Core i7-6700K
  • Placa-mãe: GIGABYTE Z170-X Gaming G1
  • Memória: 16 GB RAM Corsair DDR4 2133
  • SSD: Intel 540 Series 480 GB
  • SSD 2: WD Blue 1 TB
  • HD: WD Blue 4 TB
  • Fonte: Corsair AX1500i

Jogos

Batman: Arkham Knight

O mais recente jogo da franquia do Homem-Morcego abusa do poder do chip gráfico, colocando o componente de vídeo sob grande estresse e testando a máquina com vários filtros e efeitos.

O game do Homem-Morcego funcionou perfeitamente na ASUS RX 580 Strix, com uma média superior aos 90 quadros por segundo. Os resultados são um pouco tímidos, ainda mais quando percebemos que a RX 480 Strix foi bem superior nesse caso. A taxa mínima apresentada acima foi o menor valor observado na execução do game, sendo que quedas são incomuns.

Deus Ex: Mankind Divided

O novo game da série Deus Ex traz novidades gráficas que prometem levar os componentes de vídeo ao limite. O jogo é um dos mais pesados que já vimos, sendo que nem mesmo placas mais robustas dão conta dele com todos os filtros ativados. Assim, nós rodamos os testes em nível máximo (na configuração Ultra), porém desativamos a opção MSAA.

O último game da série Deus Ex consome muitos recursos da placa e se mostra um verdadeiro desafio para a ASUS RX 580 Strix. O chip gráfico da Radeon executou os gráficos com boa performance na maior parte do tempo, mas tivemos uma ou duas quedas no benchmark do game, bem próximas de 20 frames por segundo.

Apesar disso, as quedas não se repetem com muita frequência na jogatina. A média fica próxima a 46 fps, sendo a melhor placa entre as que foram comparadas nesse caso. Vale constatar, contudo, que a RX 480 Strix não marcou quedas tão feias, então o desempenho parece um pouco mais consistente na placa de geração anterior.

Ghost Recon: Wildlands

Outro jogo muito "pesado" é o novo Ghost Recon, que deu um trabalhão para a RX 580. Com cenários muito amplos, texturas de alta definição e uma enormidade de partículas, o game da Ubisoft consome muitos recursos da placa.

Na qualidade Ultra, em resolução Full HD, o game marca mínimas muito próximas à marca dos 30 frames por segundo. A média no Ultra é aceitável para uma placa ainda intermediária e o desempenho até que é satisfatório. De qualquer forma, às vezes, pode ser mais interessante rodar o game com uma qualidade reduzida, mas performance mais equilibrada.

Grand Theft Auto V

Ainda muito querido pelos gamers, o jogo GTA V conta com uma quantidade absurda de detalhes que colocam muitas placas robustas sob grande estresse.

Infelizmente, a ASUS RX 580 Strix não tem poder de fogo suficiente para encarar o GTA V na qualidade Ultra (com detalhes definidos para os níveis máximos e filtros ativados). A média de 30 fps é até satisfatória, mas as quedas para baixo de 20 fps são preocupantes. Nossa dica é desativar os filtros, situação em que a média pode subir para a casa dos 70 fps.

Rise of the Tomb Raider

O último título da série Tomb Raider já é figurinha carimbada em nossos benchmarks, então nós resolvemos fazer alguns testes com placas que já estavam em nosso laboratório para compará-las com a ASUS RX 580 Strix, já que esse jogo tem visuais estonteantes e já utiliza o DirectX 12.

O resultado acima mostra a média de desempenho na qualidade máxima do jogo. Em nossos testes, percebemos que as mínimas para tal qualidade chegam a quase 25 fps, o que até é aceitável para uma placa desse nível. Agora, é claro que se você desativar o filtro SSAA ou mudar algumas configurações, já é possível conseguir uma performance muito melhor.

Energia e overclocking

Apesar de vir com overclocking adicional de fábrica, essa placa tem apenas um conector de oito pinos para alimentação do circuito. Na prática, o consumo realmente é coerente com a promessa da fabricante, sendo que os valores raramente chegam aos 170 watts.

Quanto ao overclocking, a série Polaris geralmente já trabalha em seu limite de performance, então é bem difícil conseguir fazer ajustes significativos nos clocks. De qualquer forma, nós realizamos vários testes para tentar levar a placa ao seu máximo.

Em nossos testes, conseguimos subir os clocks cerca de 20 ou 30 MHz sem ter problemas de instabilidade. É claro que essa questão do overclocking depende muito da placa em questão, então pode ser que algumas unidades possam rodar tranquilamente acima de 1,4 GHz.

Vale a pena?

Diferente do que vimos na Radeon RX 570, os ganhos de performance com a RX 580 não são tão significativos. Aliás, é importante perceber que, em alguns casos, o aumento do clock não surtiu qualquer benefício, bem como presenciamos situações em que a placa da geração passada até conseguiu manter resultados melhores.

Apesar disso, há situações em que a ASUS RX 580 Strix supera os modelos concorrentes com maestria, mostrando que as mudanças no chip e na concepção do produto fazem muito sentido. Esse desequilíbrio que pende para um lado e, às vezes, para outro é comum em placas que seguem essa tática do rebranding, então nada surpreendente nesse ponto.

A questão aqui é pensar na proposta da série RX 500, que chegou para conquistar jogadores que ainda não migraram para as novas gerações de placas de vídeo e buscam modelos incrementados, capazes de levar mais performance nos momentos mais cruciais. Nesse sentido, e considerando que a RX 400 foi descontinuada, essa nova placa vem a calhar.

É claro que a tática de rebranding não é algo apreciado por muitos gamers, mas é inegável que a Radeon fez alguns progressos aqui ao conseguir atingir clocks mais altos — e a ASUS se mostrou ainda mais competente ao ir além do básico. As melhorias pontuais custaram um incremento no TDP do produto, mas o consumo de energia não é exagerado.

O algoritmo Radeon Chill ajuda bastante nesse caso, já que não afeta a jogatina e pode garantir benefícios ao usuário. Então, no todo, você pode esperar uma placa bem poderosa e que compete legal com a GTX 1060 de 6 GB.

Temos aqui mais um ótimo projeto da ASUS, com design robusto e boas novidades. Talvez, o grande porém seja o tamanho avantajado, que dificulta a instalação em algumas máquinas. Ficamos satisfeitos com o sistema de refrigeração, que garantiu o funcionamento perfeito e manteve as temperaturas muito baixas, com espaço até para overclocking.

Apesar de tudo isso, a série RX 500 tem um problema na precificação. Em seu lançamento, os valores já estavam um tanto altos, mas, agora, com a história dos bitcoins, a coisa ficou ainda mais complicada. Certamente, esse não é o momento para comprar uma Radeon RX 580, pois os valores próximos de 2 mil reais fogem muito da realidade.

Contudo, quando a placa voltar ao seu preço padrão, com valores que variem entre 1,3 mil e 1,4 mil reais, ela certamente será uma ótima opção. No todo, gostamos do projeto dessa ASUS e recomendamos o produto pelos grandes resultados.

Cupons de desconto TecMundo: