Manter o bom desempenho de uma máquina focada em jogos não é tarefa fácil, pelo menos para quem tem um orçamento limitado. Muitas vezes, a atualização do PC é realizada em partes, mas é comum pintarem dúvidas sobre qual peça deve ser trocada primeiro.

Muita gente diz que a placa de vídeo é a única peça que importa para aumentar a performance nos jogos, porém a história é um pouco diferente na prática. Às vezes, um processador antigo já não é capaz de entregar potência suficiente para acompanhar o desempenho da GPU.

A placa de vídeo tem papel importante, contudo é preciso uma configuração equilibrada para manter uma experiência homogênea e satisfatória. Isso significa que até componentes como memória RAM e dispositivo de armazenamento podem impactar nos resultados dos games.

Com tantas dúvidas, nós efetuamos uma série de testes para trazer um veredito. Abordamos aqui alguns tópicos que você deve observar na hora de fazer uma atualização na sua máquina. É importante ressaltar, contudo, que as dicas são de casos específicos, então você deverá analisar a situação do seu computador e averiguar se as dicas se aplicam à sua configuração.

Um estudo de caso: a importância do processador e da placa de vídeo nos jogos

Antes de qualquer coisa, devemos salientar que o processador faz diferença nos jogos. Essa história esbravejada por alguns gamers possui alguns pormenores que devem ser observados e questionados na hora do upgrade. A verdade é que, em termos práticos, a mudança da CPU pode não ser tão impactante, mas há diferença, sim — e ela pode ser substancial.

Nós já rodamos testes aqui no TecMundo em diferentes máquinas, em que as configurações eram essencialmente idênticas, exceto por dois componentes: placa-mãe e processador. Em nossa análise, um processador Intel Core i5 da sétima geração apresentou resultados mais modestos do que um Intel Core i7 de sexta geração.

Nos testes que publicamos, evidenciamos as diferenças nas pontuações do 3DMark, cenários em que o Intel Core i5 perdeu para o Intel Core i7 por valores que variaram de 6% a 8%. O mesmo foi perceptível no teste do Cinebench com uso de GPU, situação em que o Intel Core i5 marcou uma pontuação 16% inferior à do Intel Core i7.

Em jogos, com a resolução Full HD, na maioria dos casos, a diferença entre processadores foi de 3 a 6 frames por segundo — no caso do Batman: Arkham Knight, ambos combinados com uma GeForce GTX 1080, o Intel Core i5 alcança uma média de 140 fps, enquanto o Intel Core i7 consegue 146 fps.

Essa diferença pode parecer realmente ridícula — daí o motivo de muitos alegarem que a CPU não impacta nos jogos —, porém há casos (como os de games distintos que podem ter margens bem diferentes ou mesmo como os de mudança para a resolução 4K) em que o processador pode desempenhar papel ainda mais importante nos resultados.

Para exemplificar, nós testamos o jogo Ghost Recon Wildlands com diferentes placas de vídeo e processadores. A troca de uma GTX 1080 por uma GTX 1080 Ti pode implicar em diferenças na média que variam de 7 fps (na plataforma da Intel) até incríveis 11 fps (algo conseguido com uma plataforma AMD Ryzen) na resolução Full HD com a qualidade Ultra do game.

Quando consideramos os resultados entre diferentes processadores, percebemos que a média pode variar de 0 fps (pois é, temos um empate entre o Intel Core i7 e o AMD Ryzen 5 nas médias com a GTX 1080) até impressionantes 4 fps (situação em que o AMD Ryzen 5 pontua 68 fps com a GTX 1080 Ti e o Intel Core i7 consegue 64 fps) também em 1080p e no Ultra.

Então, julgando pelos resultados apresentados nesse caso, podemos concluir que a troca da placa de vídeo é realmente mais impactante na performance deste jogo. Todavia, se o jogador trocar de processador (e até de plataforma), pode conseguir também algum benefício.

Vale conferir ainda que, dependendo do jogo, o uso de CPU pode variar e alguns chips podem não entregar performance suficiente. Nesse exemplo, todos os chips rodaram o título tranquilamente, mas o Ryzen 5 teve 46% de sua capacidade utilizada quando combinado com a GeForce GTX 1080 Ti. Seguindo essa tendência, é possível entender por que algumas CPUs podem dar gargalos em alguns games.

Os testes com 4K parecem ser menos impactados pela troca de CPU, mas ainda podemos perceber como o processador pode dar alguma vantagem competitiva. Nos testes com a GTX 1080, no jogo Ghost Recon Wildlands, a troca de um Intel Core i7 por um Ryzen 5 ou Ryzen 7 é quase irrelevante, já que, na qualidade Ultra, as médias têm variações menores do que 1 fps.

Agora, na execução do Wildlands no perfil Ultra com a GTX 1080 Ti, o cenário é invertido, e o Ryzen 7 1800X alcança quase 3 fps a mais do que o Core i7-6700K. Pode parecer pouca coisa na média, mas as mínimas são importantes aqui, sendo que o Ryzen 7 pode conseguir melhor estabilidade, já que qualquer frame faz diferença nesse caso.

Vale ficar atento ao fato de que comparamos CPUs bem recentes e mais robustas. A diferença em muitos dos jogos modernos pode ser ainda mais discrepante ao considerar a execução dos jogos em processadores como Intel Core i3, AMD Ryzen 3, Intel Pentium ou AMD FX.

Em qual devo investir?

Bom, é importante considerar que nossa comparação foi realizada apenas para servir como prova de que tanto processador quanto placa de vídeo podem causar impacto na execução dos games. Todavia, nós testamos os jogos com peças top de linha e que têm performance muito similar para a maioria das tarefas.

Na hora da sua atualização, você deve pensar no orçamento, algo que pode limitar um pouco as opções. Assim, o primeiro passo é averiguar qual é sua atual configuração e quais são as possibilidades no upgrade.

Se você tem uma placa de vídeo recente e poderosa, como uma GTX 1060 ou Radeon RX 580, mas ainda usa um processador antigo — seja um Intel Pentium ou AMD FX —, o salto para uma plataforma nova e compatível com DDR4 — como os atuais Intel Core i5, Intel Core i7, AMD Ryzen 5 ou AMD Ryzen 7 — pode ser significativo.

Agora, se o seu setup está desequilibrado para o outro lado, com uma CPU já recente (seja até um Intel Core i3 ou Intel Core i5 de quarta geração), o upgrade da placa de vídeo pode ser mais sensato. Placas como a GTX 950 ou a Radeon RX 460 ainda dão conta de jogos com alguma qualidade, mas é claro que avançar para uma GTX 1070 já é uma opção mais interessante.

Também é preciso pensar na questão do preço. Às vezes, a troca do processador implica na mudança da placa-mãe e da memória, um combo que pode sair bem caro. A placa de vídeo, em alguns casos, pode ser uma alteração mais acessível, ainda que seja preciso pensar na questão da fonte de alimentação, já que placas poderosas podem exigir mais energia.

Uma boa recomendação é sempre pensar em uma combinação intermediária, como um Intel Core i5 ou um AMD Ryzen 5 e uma GTX 1060 ou uma Radeon RX 580. Aí, se você tem alguma grana sobrando, pode já investir mais forte na placa de vídeo, uma vez que ela comprovadamente entrega mais benefícios.

Vale pensar que, nesse processo, você pode vender suas peças antigas e baratear o upgrade. Uma dica importante é a de evitar downgrades, ou seja, diminuir a capacidade da máquina. Efetuar a troca de um Intel Core i7 de terceira geração por um Intel Core i3 de sexta geração, por exemplo, pode não ser lá uma grande ideia.

Outra dica é fugir das APUs. Elas não são voltadas para gamers exigentes, sendo apenas opções para jogadores que curtem games casuais e que preferencialmente usarão somente o chip gráfico embutido. Sim, é possível colocar uma placa de vídeo externa, mas talvez você esbarre em limitações de memória ou até de soquete em futuras atualizações.

Além de todas essas dicas, você deve ficar ligado na questão da memória RAM e do armazenamento, que devem ser coerentes com sua configuração. Não adianta colocar uma CPU recente e uma placa de vídeo robusta, mas manter a máquina limitada nesses aspectos, principalmente na questão da memória RAM, que pode impactar na execução dos jogos.

Bom, agora resta você averiguar sua máquina e pensar qual peça deve ser trocada, pensando sempre em manter o PC atualizado com as novas tecnologias — que geralmente entregam maior performance e chances de upgrades. Não existe uma fórmula para todo e qualquer caso, portanto é sempre bom consultar fóruns e conversar com os amigos para encontrar soluções mais adequadas. Boa sorte e boa jogatina!

Cupons de desconto TecMundo: