A placa de vídeo é peça fundamental para a jogatina pesada, sendo o principal componente de investimento em setups voltados para games. Assim, é bastante comum que muita gente opte por um processador mais simples para dar apenas o suporte mínimo para os jogos.

Todavia, na hora de montar a configuração do PC, é comum ter dúvidas quanto ao modelo de bom custo-benefício. É bastante simples: qualquer consumidor que busque economia deseja pagar o mínimo possível e obter uma experiência incrível em suas tarefas.

Ocorre que quando falamos em componentes de entrada, é muito complicado escolher uma peça que ofereça boa performance e não derrape nos tais “gargalos”— que é a discrepância que existe entre o desempenho de um componente e outro durante uma determinada tarefa.

Essa situação é ainda mais difícil quando tratamos de games, pois é preciso tentar dimensionar a CPU de acordo com o desempenho da placa de vídeo. As especificações nem sempre são esclarecedoras para tomar uma decisão de compra, por isso é importante buscar informações em reviews e vídeos que mostrem o real potencial na prática.

Pois bem, isso nos leva a questionar justamente qual é o processador de entrada mais adequado para a jogatina. Seria um modelo Intel ou um componente da AMD? Quais dispositivos concorrem nesse segmento? Uma APU é capaz de dar o suporte adequado para jogos? Vamos tentar esclarecer algumas dessas dúvidas.

As armas da Intel

Bom, pensando especificamente em processadores Intel, a verdade é que, se você pensa em montar um PC gamer básico, não é preciso apostar em um Intel Core i7 ou Intel Core i5 para ter uma boa experiência nos jogos. Considerando o fato de que os títulos realmente requisitam maior poder de processamento da placa de vídeo, a CPU pode ser mais simples.

Normalmente, nós recomendaríamos um Intel Core i3 Kaby Lake ou Skylake, porém, com as reduções significativas de preços da série Intel Pentium, é válido reconsiderar suas opções. Já está mais do que comprovado que o Pentium G4560, que usa o mesmo soquete e é fabricado com o mesmo processo de litografia, tem excelente performance para a jogatina.

Disponível atualmente por valores que beiram os 300 reais, esse modelo é o bastante para os jogadores que vão apostar em placas de vídeo de entrada ou intermediárias. É válido notar de antemão que tal componente pode ser usado em seu poder máximo para determinados jogos, porém, dados os atuais títulos, ele ainda é uma opção muito recomendada.

Ressaltamos que o Pentium G4560 não apenas é uma boa solução para jogos, como ele também apresenta o melhor custo-benefício do segmento, levando em consideração que o modelo mais próximo, o Intel Core i3-7100, custa quase o dobro e tem um ganho muito pequeno (que em muitos casos deve ser de 5% a 10%). Essencialmente, o Intel Core i3 só leva vantagem pelo clock mais alto e a memória cache com tecnologia SmartCache.

As opções da AMD

Para quem pretende montar uma plataforma AMD, nossa recomendação para o presente momento é aguardar até que as coisas mudem um pouco de cenário. Atualmente, a AMD tem algumas soluções básicas para jogos, mas somente uma delas se mostra competitiva, quando pensamos na competição com o produto da Intel.

O modelo que entrega a melhor relação custo-benefício aqui é AMD FX-4300. Apesar de ser um dispositivo de quatro núcleos, esse componente da AMD só consegue manter uma performance similar à do Pentium G4560, que curiosamente conta com apenas dois núcleos. Na prática, eles empatam em vários casos, mas o Pentium ainda deve ser uma aposta mais inteligente.

A recomendação pelo produto da Intel é bastante simples: boa performance, suporte para memória DDR4 e economia de energia. O processador da AMD teve uma baixa considerável de preço e pode até ser adquirido por menos de 300 reais, porém, ao pensar como uma solução de longo prazo, essa plataforma já não é a mais recomendada para gamers.

Para quem faz muita questão de optar por um AMD, modelos mais poderosos como o FX-6300 (que custa na faixa dos 330 reais) ou mesmo o FX-8320 (disponível por 480 reais) são apostas mais seguras para os games — nós temos uma máquina de VR equipada com esse último componente e não temos quaisquer problemas para os jogos mais modernos.

A AMD ainda possui APUs em seu catálogo, porém não recomendamos tais chips para máquinas que serão equipadas com placas de vídeo dedicadas. Os processadores da série A10 podem ser qualificados para bons resultados com games, porém eles são muito caros, haja visto que já trazem GPUs internas que dão conta da jogatina básica.

Jogadores que ainda estão cogitando montar uma máquina nova e pretendem apostar na AMD, nossa recomendação é aguardar a chegada dos processadores Ryzen 3 (disponíveis agora no fim de julho), que devem entregar performance similar à da série Core i3 com preços compatíveis — isso sem contar a litografia aprimorada e o suporte para DDR4.

Assim, dada a atual situação, a melhor recomendação de processador de entrada para jogos é o Intel Pentium G4560. Obviamente, esse cenário muda constantemente, então vamos ver como o segmento estará daqui a alguns meses, com a chegada de novos produtos por parte das duas fabricantes.

Cupons de desconto TecMundo: