(Fonte da imagem: Shutterstock)

Mesmo com avanços tecnológicos proporcionando uma evolução constante em componentes computacionais, essas peças apresentam um limite. Processadores, hoje em dia feitos com silício, aos poucos começam a apresentar algumas barreiras de desempenho que fizeram com que cientistas buscassem alternativas a eles. Agora, surge um possível vislumbre do futuro dos computadores.

Os cientistas Jiangjiang Gu, da Universidade Purdue, e Xinwei Wang, da Universidade de Harvard, criaram um transistor formado por três nanofios de um material chamado arseneto de gálio e índio (InGaAs), montado como se fosse uma árvore de Natal. A pesquisa se baseia em um projeto anterior que criava transistores em 3D, em vez de planos.

Esse projeto permite que engenheiros possam criar circuitos integrados mais rápidos, eficientes e compactos, assim como laptops mais leves e que geram menos calor. A nova descoberta mostrou que ligar os transistores verticalmente em paralelo aumenta o desempenho do eletrônico.

Segundo o coordenador da equipe, Dr. Peide Ye, empilhar os transistores resulta em mais corrente e uma operação mais rápida. Isso tudo adiciona uma nova dimensão e, por isso, os cientistas os chamam de “transistores 4D”.

Ainda é cedo para saber exatamente quando esses componentes serão utilizados no mercado, mas processadores mais atuais já utilizam a tecnologia de transistores 3D, provando que nos próximos anos deveremos ver a sua próxima versão sendo utilizada na criação de novos computadores.

Cupons de desconto TecMundo: