(Fonte da imagem: Divulgação/Intel)

A Intel anunciou uma série de metas para seu desenvolvimento ambiental e, entre elas, está a disposição de interromper completamente o uso de minerais oriundos de zonas de conflito. Segundo a empresa, a ideia é substituir os elementos usados na produção de processadores até 2013, adotando materiais certificados e obtidos por meios regulamentados.

Os processadores da marca contam com quatro minerais amplamente obtidos em zonas de conflito ao redor do mundo: tântalo, ouro, estanho e tungstênio. O primeiro deles representa o principal problema para a Intel, já que boa parte do material utilizado na fabricação dos componentes é importado da República Democrática do Congo, onde os lucros obtidos com a mineração e contrabando financiam a ocupação militar do país.

Sendo assim, o tântalo é a prioridade da empresa e deve ter seu uso regulamentado até o final deste ano. A seguir, a Intel partirá para a substituição de todos os outros, chegando aos processadores “livres de conflitos” até 31 de dezembro de 2013.

Fonte: The Verge

Cupons de desconto TecMundo: