Imagem de: Intel: processadores de nova geração serão fabricados em ritmo mais lento

Intel: processadores de nova geração serão fabricados em ritmo mais lento

1 min de leitura
Avatar do autor

A Lei de Moore, que, grosso modo, propõe a reformulação da arquitetura de CPUs a cada dois anos, será revogada pela Intel. Agora, as vindouras gerações de processadores serão produzidas num ritmo mais lento, a partir de um novo processo. As informações são da própria fabricante, segundo informa o Engadget.

Conhecido como “Tick-Tock”, o método até então vigente consistia no desenvolvimento de um processo mais eficiente de fabricação seguido da otimização das capacidades de desempenho das CPUs. Sob o nome de PAO (Proccess > Architecture > Optimization), a metodologia que vai guiar os novos processos de produção deve se constituir por três etapas – o que, na prática, resulta na adição de um ano sobre o ciclo de produção de novas gerações de processadores.

Três etapas agora passam a integrar os ciclos de desenvolvimento de novas gerações de CPUs

Significa, assim, que os consumidores terão de esperar ao menos três anos pela chegada de novas CPUs (no “Tick-Tock”, o tempo necessário ao aprimoramento dos componentes era de cerca de dois anos e meio). A mudança no processo de fabricação se dá em função da redução do tamanho dos chips – problemas foram enfrentados pela Intel já durante a adaptação dos processadores de 22 para 14 nanômetros, o que gerou, ainda em 2014, o desenvolvimento do PAO.

A fabricação de chips que sucedem o Kaby Lake (a sexta geração de processadores, inaugurada no ano passado) já deverá adotar os processos de três estágios – são esperadas CPUs de 10 nanômetros melhores, mais rápidas e ainda mais eficientes.

...

Qual processador você usa em seu computador? Ele dá conta das suas tarefas cotidianas? Comente no Fórum do TecMundo

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Intel: processadores de nova geração serão fabricados em ritmo mais lento