(Fonte da imagem: Divulgação / Apple)

De acordo com reportagem do The Wall Street Journal, o Google, Facebook e diversas agências de publicidade online estariam burlando restrições dos navegadores Safari e Mobile Safari para instalação de cookies. Os arquivos são utilizados para verificar informações de login nos serviços e monitorar a navegação, de forma a entregar anúncios mais pertinentes.

Em uma de suas funções de segurança, o Safari impede que sites de terceiros instalem cookies. Sendo assim, a ação é permitida apenas às páginas que realmente foram acessadas pelo usuário. Isso vale para as versões desktop e iOS do navegador, e ambas estariam sendo burladas pelas empresas.

O problema, descoberto pelo pesquisador da Universidade de Stanford, Jonathan Mayer, consiste em enviar uma solicitação em branco para o navegador. Assim, o aplicativo entende que o usuário está acessando um determinado site e permite a instalação dos cookies. Tudo, porém, acontece sem a autorização de quem está usando o aparelho.

Declaração oficial

Em nota à imprensa, o Google afirma que o Wall Street Journal descaracterizou a forma como os cookies estão sendo utilizados, de forma a tornar a questão alarmante. A empresa diz que utiliza funções certificadas do Safari para dar vantagens aos usuários que possuem contas em seus serviços, evitando a necessidade de digitação sucessiva de senhas.

O Google reafirmou que não coleta dados pessoais dos usuários e que está removendo qualquer cookie relacionado a publicidade que possa estar sendo instalado em decorrência da utilização de seus serviços.

Cupons de desconto TecMundo: