A China tem uma das economias que mais crescem no mundo e está chegando com tudo no mercado de smartphones global com a Xiaomi. Por isso, visando a uma cooperação bilateral em ciência, tecnologia e inovação, o ministro Aldo Rebelo e o ministro chinês Wan Gang assinaram um memorando para compartilhar parques tecnológicos nesta semana.

Segundo o site do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), "o ato, estabelecido no 2° Diálogo de Alto Nível em CTI, visa ao incremento do ecossistema para o mercado de inovação tecnológica, por meio do trabalho conjunto dos dois países".

Até o momento, as áreas de interesse mútuo que vão ser desenvolvidas com esse acordo são:

  • Ciência e tecnologia agrícola
  • Tecnologia industrial
  • Tecnologia de valor agregado
  • Biotecnologia e nanotecnologia

"Creio que esse traço comum do Brasil e da China marca mais do que a necessidade da nossa cooperação. A colaboração entre vizinhos de fronteira é um destino. Entre países distantes é uma opção marcada pela identidade e pela busca de objetivos comuns. É isso o que oferece segurança e solidariedade no presente e a perspectiva da cooperação no futuro", comentou o ministro Aldo Rebelo.

Para entender como a tecnologia é importante para um país, hoje, 15% do Produto Interno Bruto (PIB) da China é vindo de empresas instaladas nos parques tecnológicos e incubadoras do país.

"Por meio dos parques tecnológicos podemos dar o passo adiante para a inovação em um espaço de trabalho conjunto. O Brasil e a China, sendo países em desenvolvimento, precisam acelerar os investimentos em novidades. Os dois países somando esforços promoverão um futuro melhor", disse o ministro chinês Wan Gang.

Cupons de desconto TecMundo: