A Gol Linhas Aéreas, de acordo com levantamento da Folha de SP, pagou um valor absurdo para exibir propagandas em site do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB). Os anúncios, que são alvos da Operação Lavo Jato, somam R$ 2,2 milhões no total e custaram cerca de 100 vezes a mais do que os valores praticados no mercado.

O ex-deputado Eduardo Cunha foi preso na semana passada pela Polícia Federal. As autoridades acreditam que os pagamentos da Gol sirvam para disfarçar possíveis repasses de propinas e, além disso, para que Cunha defendesse medidas que beneficiassem empresas "da família Constantino" — uma delas, a Gol. A companhia alertou que está realizado auditoria para apurar irregularidades.

A Gol pagou R$ 200 mil por mês para sites de Cunha

Os sites de Eduardo Cunha envolvidos no negócio são: Fé em Jesus e Bom Mercatto. O primeiro é dito como um dos maiores sites evangélicos do Brasil, enquanto o segundo é uma plataforma de ecommerce.

De acordo com documentos da agência AlmapBBDO, entregues à PF, foi realizado um investimento de R$ 2,2 milhões nos sites: para veicular apenas quatro banners, a Gol pagou R$ 200 mil por mês entre 2012 e 2013. O portal Fé em Jesus, com audiência média de 150 mil views mensais, segundo a Folha, isso geraria cerca de R$ 1,8 mil por "meios legais" de CPM — e não os R$ 200 mil mensais que havia recebido. Para entender mais essa conta, clique aqui.

A Gol disse que "está em processo de apuração", enquanto a agência de publicidade "alega que adquiriu os anúncios a pedido da Gol".

Cupons de desconto TecMundo: