Professores sempre buscam maneiras de aproximar conteúdo escolar e alunos, então, qual o motivo de não utilizar um aplicativo que já é uma febre entre crianças e adolescentes? Leandro Ferreira, professor de geografia da Escola Municipal Professora Regina Mallouk (São José do Rio Preto, SP) aproveitou Pokémon GO para passar os próprios ensinamentos.

De acordo com o G1, Ferreira analisou o jogo e utiliza a aplicação para ensinar os alunos a lerem e compreenderem mapas. "Os alunos não podem trazer celular para a sala de aula, mas neste dia os pais e a escola autorizaram. Fomos às ruas divididos em grupos para mapear o entorno da escola. Colocamos no mapa pontos de ônibus, telefones públicos, casas dos alunos, supermercados e, é claro, pokestops e locais mais comuns para o aparecimento de pokémons", comentou ao site.

Os alunos também criaram redações sobre os problemas sociais 

O professor disse que sempre busca incluir novas tecnologias no processo de aprendizagem de alunos e que Pokémon GO tem potencial como ferramenta educacional. Os estudantes, entre 8 e 9 anos, aprendem sobre mapas e legendas nas aulas de Ferreira.

"É um game social geográfico e é preciso cuidados para jogar com segurança. Os alunos foram orientados, por exemplo, a sempre jogarem em grupo ou com um adulto, a não atravessarem a rua olhando para o celular e a não pularem muros", disse.

Além do aprendizado sobre mapas, os alunos também criaram redações sobre os problemas sociais encontrados no bairro. Exercícios de soma e subtração também foram realizados com o peso e altura de pokémons.

Aula do professor Leandro

Sobre adultos que jogam, Ferreira disse que uma das partes mais interessantes do aplicativo é "a possibilidade de sair de casa e explorar o ambiente, ensinar e aprender sobre a cidade e conhecer novos lugares e amigos".

Leandro Ferreira e alunos

Cupons de desconto TecMundo: