Falecido em julho de 2015, o saudoso ex-presidente da Nintendo, Satoru Iwata, deixou muitos legados na companhia depois de décadas de trabalho duro. Só que o que pouca gente sabia até agora é que ele também esteve envolvido o máximo que conseguiu no mais recente estouro da empresa: Pokémon GO.

De acordo com o site Nikkei, o game mobile que conquistou o mundo é o "legado final" de Iwata, que nos deixou aos 55 anos devido a um câncer. O executivo, que comandou a Nintendo por 13 anos, esteve envolvido de perto no desenvolvimento do game, desde a fase de planejamento até a criação em si. "Ele continuou trabalhando da cama do hospital até o último momento, usando seu PC favorito e trocando ideias sobre Pokémon GO com Tsunekazu Ishihara, presidente da The Pokémon Company e amigo próximo", diz o site.

Iwata (esquerda) com Junichi Masuda (GameFreak; centro) e Tsunekazu Ishihara (The Pokémon Company; direita)

Segundo a publicação, Iwata queria criar um jogo de smartphones típico da Nintendo sob sua própria iniciativa, mas ele mesmo sabia que lhe restava pouco tempo de vida. Por isso, ele decidiu se agarrar à chance de trabalhar com a Niantic a partir da The Pokémon Company. O principal objetivo do ex-presidente era dar vida a um game que fosse acessível para crianças sem que elas precisassem gastar muito dinheiro. E, pelo que vimos até agora pelo estrondoso sucesso do app, ele conseguiu.

O que vem a seguir?

Sucessor de Iwata na presidência na Nintendo, Tatsumi Kimishima tem um estilo de gerenciamento bem diferente de Iwata, que era completamente apaixonado pela companhia e havia dedicado a ela quase toda a sua vida profissional. O comportamento do novo chefe até tem sido um pouco criticado: nas últimas reuniões com acionistas, ele pouco teve a dizer inclusive sobre Pokémon GO — o único comentário foi que ele agora descobriu que a série tem muitos fãs ao redor do mundo.

Via TecMundo Games.

Cupons de desconto TecMundo: