Desde que foi lançado, Pokémon GO sofre acusações graves a respeito da falta de privacidade dos usuários — afinal, o app tem acesso à câmera do seu tablet ou smartphone e realiza o mapeamento constante das suas redondezas, incluindo a própria casa dos jogadores e estabelecimentos públicos ou privados.

Pensando nesses e em outros riscos corridos pelos treinadores, o Irã foi o primeiro país a banir o game em todo o território nacional. Segundo a BBC, a decisão foi tomada em definitivo pelo Alto Conselho de Espaços Virtuais, um órgão regulador do local que também restringe bastante o uso da internet na nação asiática. A alegação desta vez é a necessidade de priorizar "questões de segurança" da população, especialmente as crianças.

Será que mais algum país vai tomar a mesma atitude radical? Até agora, atoridades dos Emirados Árabes Unidos e do Kuwait já lançaram alertas a respeito dos perigos ao jogar o game nas ruas e fornecer coordenadas geográficas, enquanto a Indonésia proibiu somente os policiais de caçarem monstrinhos durante o expediente.

O problema é mais embaixo

Só que a questão não parece ser tão simples assim: aparentemente, antes de proibir o game, o governo do Irã conversou com a Niantic em julho deste ano para saber o quanto a empresa poderia cooperar com o as autoridades — provavelmente em fornecer dados de localização ou algo do tipo. Ainda de acordo com a BBC, nenhum dos lados confirmou a informação, mas essa pode ter sido a gota d'água na relação.

Cupons de desconto TecMundo: