Gosto é gosto e ninguém discute. Mas será que mesmo diante de argumentos técnicos nossos fanboys serão capazes de manter a sua opinião em relação ao fato de uma tecnologia ser melhor do que a outra? Desta vez colocamos frente a frente no ringue duas das principais tecnologias de telas de TV: LCD e Plasma.

A exemplo de outros artigos do gênero, nossa proposta é apontar os principais pontos positivos e negativos de cada uma das concorrentes para que você, usuário, escolha qual das duas mais se adapta ao seu bolso e estilo de vida. Será que os nossos fanboys conseguirão convencê-lo a mudar de ideia?

Conhecendo as concorrentes

A tecnologia de LCD (liquid crystal display) chegou para os consumidores em meados dos anos 90. Naquela época as telas de CRT predominavam no mercado e os usuários logo perceberam a diferença no tamanho, uma vez que as LCDs ocupavam muito menos espaço.

Seu funcionamento consiste em líquido polarizador de luz, controlado por via elétrica, comprimido dentro de duas lâminas transparentes. Por ser mais fina, leve e, com o tempo, ter se tornado mais barato, o LCD passou a ser utilizado em praticamente todos os aparelhos portáteis como relógios, calculadoras, câmeras digitais e celulares.

Já as telas de Plasma surgiram no final da década de 90, em resposta a um ponto fraco das telas de LCD - falta de definição para fontes SDTV (standard-definition television). As telas de Plasma utilizam substâncias gasosas (como xenon e neon) dispostas em pequenas células que agem como lâmpadas, emitindo luz ao receberem energia.

Round 1: qualidade de imagem

Qualidade de imagem

Qualidade de imagem talvez seja o item mais importante a ser levado em consideração na hora de adquirir uma televisão. No entanto, este é um quesito em que vários fatores devem ser analisados, já que o fato de apenas um deles ser melhor não significa, necessariamente, que a qualidade final do produto também será superior.

Sendo assim, na hora de analisar esta categoria vale a pena ficar de olho em itens como quantidade de cores possíveis de serem reproduzidas, taxas de contraste e brilho e resolução de tela. Quanto maiores forem os números, melhor será o desempenho no quesito.

Qualidade de imagem

Em praticamente todos os quesitos as telas de Plasma podem apresentar números melhores, em especial no contraste onde esta tecnologia é imbatível. No entanto neste caso, ser melhor que a concorrente não significa que, necessariamente, as telas de Plasma são a melhor opção de compra.

A menos que você pretenda extrair o máximo em qualidade de imagem, com jogos de videogames como Xbox e Playstation 3 ou filmes em Blu-ray, uma tela de Plasma com altíssima qualidade de imagem terá pouca serventia. Nesse caso, as telas de LCD, mesmo com números mais baixos, dão conta perfeitamente do recado.

Round 2: tamanho de tela e peso

Tamanho de tela

Em se tratando de televisão, tamanho não é documento. De nada adianta você ter uma tela de 60 polegadas dentro de sua casa se a sala em que ela está instalada é pequena e faz com que você tenha que ficar muito perto da tela, perdendo assim a nitidez da imagem e prejudicando a sua visão.

No entanto se espaço não é um problema para você saiba que para cada tamanho de tela existe uma tecnologia que se adapta melhor. Em linhas gerais as telas de LCD apresentam uma melhor relação custo-benefício em modelos de até 37 polegadas.

Tamanho de tela

Isso acontece porque em tamanho de tela iguais ou inferiores a esse a percepção do usuário de certos detalhes é mínima e o tipo de tela não chega a ser um fator significativo. Além disso, praticamente não há no mercado telas de Plasma com tamanhos inferiores a 42 polegadas.

Já para telas maiores a melhor escolha fica por conta das telas de Plasma, embora as telas de LCD com tecnologia LED atualmente sejam competitivas neste quesito. Já em termos de peso do produto, não há dúvidas: as telas de LCD são consideravelmente mais leves.

Round 3: tempo de resposta e frequência

Tempo de resposta

Outro item a ser levado em consideração na hora de adquirir uma televisão é o tempo de resposta. A medida se refere ao tempo de atualização da imagem, ou seja, quanto menor o tempo de resposta, mais rápida serão as transições de imagens e, consequentemente, mais suave será a visualização do usuário.

Neste quesito as telas de Plasma ainda são superiores, mas essa distância foi reduzida significativamente, já sendo possível afirmar que as diferenças praticamente imperceptíveis para a maioria dos usuários. Já existem telas de Plasma com tempo de reposta inferior a 1 ms. As telas de LCD estão muito próximas a esse número.

Tempo de resposta

Em se tratando de frequência, a distância entre ambas as tecnologias também está cada vez menor. Enquanto as telas de Plasma já chegam a 600 Hz, as telas de LCD com tecnologia LED, em especial as com suporte para 3D, já atingem a marca de 480 Hz.

Vale lembrar que a frequência é a medida de quantos quadros de imagem um televisor pode apresentar durante um segundo. Medidas acima de 120Hz são conseguidas através de recursos que permitem criar quadros de imagem baseados em informações prévias.

Round 4: consumo de energia

Consumo de energia

De nada adianta pesquisar, pechinchar e economizar na hora da compra de um produto se quando ele vier a ser utilizado seu consumo de energia extrapolar os limites normais. Você acabará economizando na compra, mas aos poucos verá seu dinheiro ir embora mês a mês na conta de luz.

Em se tratando de consumo de energia as telas de LCD são as que apresentam o melhor desempenho. O consumo de uma tela como essa pode ser até 50% menor do que um modelo de tamanho similar construído com tela de Plasma.

Consumo de energia

É bem verdade que as novas telas de Plasma evoluíram bastante e conseguem hoje em dia reduzir o consumo de energia, mas ainda assim, numa comparação direta, ainda estão longe de bater de frente com as LCDs ou com as LCDs com tecnologia LED.

Por outro lado, a indústria presume que aquele consumidor que pode pagar mais por uma tela maior e exige qualidade está disposto a arcar com essa consequência. No final das contas a decisão é exclusivamente sua e deve ser tomada não em relação ao consumo direto de energia, mas sim sob a ótica de qual impacto o consumo terá no seu orçamento.

Round 5: preço

Preço

Qualidade é fundamental, mas nem sempre a televisão ideal para um usuário é aquela que cabe em seu orçamento. Dessa forma é preciso levar em consideração outros fatores, deixando em segundo plano alguns itens menos importantes e procurando encontrar o aparelho que apresente a melhor relação custo-benefício.

Em se tratando de preço, as telas de LCD são as que contemplam as faixas mais baixas. Devido ao maior tempo de existência e, consequentemente, maior utilização, é possível encontrar televisores abaixo dos R$ 1000 com qualidade satisfatória para o tamanho em questão.

Preço

Já as telas de Plasma, até mesmo pelo fato de serem encontradas apenas em produtos de tamanhos maiores, acabam não sendo contempladas nas faixas de preço mais populares. Numa análise de concorrência direta, como por exemplo uma televisão LCD e uma televisão de Plasma de 42 polegadas, a vantagem em termos de custos é cerca de 20 a 30% maior nas telas LCD.

A tendência é que os preços das telas LCD caiam ainda um pouco mais, uma vez que a aposta do momento recai nos painéis de LCD com tecnologia LED. Num comparativo com as telas de Plasma os preços são muitos similares e, em geral, as diferenças de qualidade entre ambas acabam sendo decididas em pequenos detalhes.

Round final: você decide

Chegou a hora da decisão. As duas tecnologias entraram no ringue, lutaram e apresentaram suas armas para conquistar a preferência do público. Agora cabe a você decidir qual delas sairá vencedora dessa batalha - ou qual das duas apresentou os melhores argumentos para conquistar o seu coração e o seu bolso.

Participe com o seu comentário e até o próximo combate!

Cupons de desconto TecMundo: