É incrível pensar na evolução das mídias digitais graváveis ao longo dos últimos dez anos. Até 1999, ou seja, há exatos dez anos pouca gente tinha um gravador de CDs e os disquetes de 1.34 megabytes eram a melhor forma de transportar dados. Em menos de dois anos houve uma explosão de preços e acessibilidade que levaram as unidades de gravação de CDs para a casa dos usuários. Na época, os DVDs tinham a hegemonia da qualidade de som e imagem que se esperava de um material de primeira categoria.

Pouco depois a tecnologia dos gravadores de DVD também foi “domesticada” e a pirataria, que antes agia com vídeos de menor porte, reprodução de álbuns musicais e jogos eletrônicos, agora conhecia um terreno ainda mais amplo: os filmes. Entretanto, esses avanços são feitos para que seja possível ter maior capacidade de armazenamento para backups e usos pessoais em geral. O crime é apenas uma das faces da má utilização dessas técnicas.

As mídias de gravação evoluíram muito!

Todo o trabalho pelo aumento da capacidade de um disco tem seu início com os DVDs de camadas duplas, quádruplas e assim por diante. Mais tarde, com a chegada dos discos Blu-ray, os padrões do que é som e imagem de alta definição acaba sofrendo severas mudanças. Isso tudo porque este suporte possui uma enorme capacidade de armazenamento se comparada aos antigos disquetes. Blu-rays de 25 GB, 50 GB e 100 GB já não surpreendem com esse lançamento que a TDK pretende apresentar.

A TDK lança um disco de maior capacidade no mercado!


Os discos do “raio azul” que vêm sendo desenvolvidos pela marca desde 2006 têm algo bastante interessante em comum: as múltiplas camadas. Quanto mais camadas estiverem presentes no disco, maior é a sua capacidade de armazenamento. Há três anos, a TDK já havia lançado o ousado Blu-ray “four layers” e “six layers” (quatro e seis camadas, respectivamente). Porém, a capacidade não passava dos 200 GB – que já são bastante grandes por si só. No caso, o BD de seis camadas possuía 33.3 GB em cada uma delas, totalizando os 200 GB.

Os discos de 320 GB terão 10 camadas!

Entretanto, existe um ponto que deve ser destacado e temido pelas empresas de desenvolvimento de mídias graváveis. Quanto maior for o número de camadas de gravação utilizadas para a construção de um disco, maior é a perda de sinal entre uma e outra. Para resolver esta questão é preciso aumentar a transmitância entre cada uma das superfícies adicionadas ao disco Blu-ray em questão.

Para este lançamento, a TDK precisou inserir dez dessas camadas de alta transmitância para que não houvesse lentidão ao executar o disco de 320 GB em aparelhos habilitados para tanto, ou seja, leitores de raio azul. Os estudos para aumentar a precisão de leitura envolvem a utilização de materiais como o dióxido de Germânio, peróxido de Bismuto e ajustes óticos a fim de aperfeiçoar a capacidade e reduzir os danos causados pelo aumento da temperatura ao ser exposto aos raios do leitor.

O raio azul ainda vai dar muito pano para manga!Com tanta tecnologia em andamento, este Blu-ray de 320 GB chega a um marco histórico no quesito transmitância e sua taxa. O lançamento da CEATEC de 2009 consegue acumular um número superior a 90% dessa taxa, enquanto os modelos anteriores (200GB, 6 camadas) não passava da variação entre 80 e 90%. Outro ponto que pode causar espanto de alguns e euforia a outros é o tempo de vídeo que poderá ser armazenado neste disco. Estima-se que o Blu-ray de 320 GB seja capaz de guardar até 177 horas de vídeo comum e 24 horas de vídeo em alta definição, aproximadamente.

A CEATEC é uma das maiores mostras de tecnologia do mundo e acontece anualmente. Durante o evento neste ano no Japão, que aconteceu entre os dias 6 e 10 de outubro, diversos novos dispositivos tecnológicos foram exibidos a uma plateia gigantesca. Foi nesse cenário de muita novidade que o anúncio deste novo suporte foi feito. O grande diferencial deste disco Blu-ray está relacionado à distribuição de jogos e filmes – em um primeiro momento. Para os videogames compatíveis com este formato, serão lançados jogos que tenham mais tempo de duração e gráficos, som e jogabilidade melhor trabalhados. A mesma receita vale para os filmes distribuídos.

Contudo, existe uma grande dúvida a respeito deste formato. Será que ele será acessível ao consumidor final, ou seja, a nós? Os preços dos discos Blu-ray convencionais já passam dos R$ 100, sendo que a capacidade de cada um deles é limitada a 25 GB ou 50 GB (1 ou 2 camadas, respectivamente). Um disco com 10 camadas e 320 GB parece algo muito salgado para fazer parte do dia-a-dia dos brasileiros. Entretanto, um anúncio deste porte muito agrada a quem pensa em fazer backups e restaurações completas dos seus discos rígidos. É uma excelente notícia, porém é preciso pensar se realmente o preço compensará o uso da ferramenta.

Agora que você já sabe das propriedades deste lançamento no mundo dos discos graváveis, qual é a sua opinião a respeito do disco de 320 GB que a TDK anunciou? Comente a respeito da viabilidade dessa novidade. Você acha que pode ser uma possibilidade ou apenas mais um produto com ressalvas mercadológicas, como o atual Blu-ray comum? Conte para a gente no seu comentário!

Cupons de desconto TecMundo: