Com a chegada dos aparelhos de televisão de alta definição, os padrões de resolução dos DVDs comuns se tornaram ultrapassados, exigindo a criação de novas mídias que atendessem à qualidade proposta pelos novos televisores.

Para você ter uma idéia, a resolução padrão de um DVD comum é de 720X480 pixels, enquanto os novos aparelhos de LCD atingem os 1920X1080, com promessas de aumentar estes padrões em alguns anos para os consumidores comuns.

Uma troca necessária

Sendo assim, manter a qualidade máxima de um DVD comum para quem acaba de adquirir um novo televisor de LCD ou Plasma seria jogar todo este potencial no lixo. A partir deste dilema começou uma nova briga, entre o HD DVD, liderado pela Toshiba, e o Blu-ray, pela Sony.

O grande trunfo das empresas em conseguir ampliar a densidade de dados em uma mídia aparentemente igual aos antigos DVDs é fazer uso de um laser mais fino que os anteriores para gravar e posteriormente ler a mídia.

Em termos simples, é como se pedissem para você escrever um mesmo texto com uma caneta de retroprojetores e outra esferográfica comum. No segundo caso, você ocuparia bem menos espaço para conseguir passar a mesma informação.

Graças a elas a briga começou.

Comparações entre HD DVD e Blu-ray

Sem destrinchar muito os formatos em nível técnico, pode-se dizer que o HD DVD, ou Disco Digital Versátil de Alta Densidade/Definição (High Definition/Density Digital Versatile Disc) é em teoria muito semelhante ao Blu-ray, que leva esse nome devido à coloração azulada do laser utilizado pelos seus dispositivos.

Com o mesmo tamanho físico e a utilização de lasers praticamente iguais, diferindo de 400nm, no HD DVD, para 405nm, no Blu-ray, você deve estar se perguntando quais as grandes diferenças na vida do consumidor ao aderir a um ou outro formato? A resposta é uma relação inversa entre capacidade e proteção contra riscos, o que explicarei no parágrafo seguinte.

Comparação entre o tamanho das gravações.

As grandes diferenças

Um HD DVD comum suporta cerca de 15GB de informação, podendo alcançar facilmente 30GB em mídias de dupla camada. Um disco de Blu-ray atinge incríveis 25GB, ou 50GB em dupla camada, fator decisivo na preferência de muitos parceiros e empresas do ramo cinematográfico e de jogos.

Por outro lado, no HD DVD, a distância entre a camada de gravação dos dados e a camada de proteção contra riscos é de 0,6mm, enquanto no Blu-ray é de 0,1mm. Na prática, isso significa que os discos em Blu-ray são bem mais suscetíveis a riscos e perdas de informação de comparados ao HD DVD.

O fim da briga

Devido a uma maior aceitação do padrão Blu-ray, além de maiores parcerias com as empresas produtoras de filmes e jogos, a Toshiba anunciou em 19 de fevereiro de 2008 a desistência na “guerra” pelo formato sucessor do DVD, uma lástima para quem já havia adquirido um aparelho para ele.

No fim das contas, quem sai ganhando é o consumidor, que agora tem um formato único para a próxima geração da reprodução e armazenamento de mídia, o Blu-ray, já utilizado com sucesso no PS3 e em leitores e até mesmo gravadores da mídia nos PCs de última geração. E a evolução não pára por aí, já que formatos de leitura em gravações holográficas estão em desenvolvimento, permitindo taxas de armazenamento inimagináveis para os padrões atuais.

Cupons de desconto TecMundo: