(Fonte da imagem: Reprodução/Notebook Check)

Não são poucas pessoas que resolvem optar pela jogatina nos computadores, mas muitos jogadores que escolhem esta plataforma acabam tendo algumas dúvidas sobre o tipo de PC que devem adquirir.

Uma das grandes questões aparece quando a pessoa pensa em optar por um notebook que seja capaz de rodar games. O marketing em torno desses produtos é grande e as promessas deixam qualquer um receoso.

(Fonte da imagem: Reprodução/Anandtech)

Há jogadores que alegam que um bom notebook pode dar conta da jogatina, mas as análises nem sempre endossam esses gamers. Para pôr um ponto final nessa história e termos uma real ideia sobre o poderio dos laptops, hoje vamos mostrar as diferenças que existem entre os componentes de hardware de um notebook e de um desktop.

A mesma placa em um notebook?

Quem já pesquisou laptops para jogos deve ter percebido que muitos contam com chips processadores de vídeo que trazem os mesmos nomes dos componentes usados em placas gráficas voltadas ao mercado dos desktops. É o caso da GTX 780, que tem uma versão “mobile” conhecida como GTX 780M. Veja as diferenças entre elas:

 GTX 780GTX 780M
Clock da CPU863 MHz823 MHz
Processadores CUDA2.3041.536
Interface da memória384 bits256 bits
Largura de banda da memória288,4 GB/s160 GB/s
Preenchimento de texturas160,5 bilhões/s105,3 bilhões/s

Olhando pelos números, podemos ter a certeza de que mesmo que pertença à mesma família, tenha arquitetura muito parecida e especificações próximas, a versão portátil do chip gráfico é bem inferior à que a NVIDIA disponibiliza para desktops. Na verdade, poderíamos concluir que a GTX 780M oferece desempenho similar ao do chip GeForce GTX 670 — o que é excelente!

Vamos conferir uma comparação entre os chips gráficos da AMD:

 Radeon HD 7970Radeon HD 7970M
Clock da CPU925 MHz850 MHz
Processadores Stream2.0481.280
Interface da memória384 bits256 bits
Largura de banda da memória264 GB/s153,6 GB/s
Preenchimento de texturas118,4 bilhões/s68 bilhões/s

Novamente, temos diferenças significativas entre o componente voltado aos desktops e o chip gráfico para notebooks (a Radeon HD7970M pode ser comparada a Radeon HD7870, mas com um clock de CPU mais baixo). Essa disparidade em especificações é refletida na hora de rodar os games, sendo que um processador de notebook sempre apresenta desempenho inferior.

Qual a diferença entre os chips na hora da jogatina?

As especificações deixam claro que os chips gráficos de notebooks saem na desvantagem na hora de executar os jogos — e não estamos levando em conta a questão dos processadores que são limitados e da memória RAM que muitas vezes opera em frequências mais baixas.

Todavia, queremos compartilhar alguns resultados de benchmarks para você ter uma ideia do quanto uma placa de vídeo para desktop é superior à de um notebook. Confira esta primeira comparação entre duas configurações com placas AMD rodando o jogo Starcraft 2:

(Fonte da imagem: Reprodução/Anandtech)

(Fonte da imagem: Reprodução/Anandtech)

Primeiro, devemos notar que a AnandTech testou a placa para desktop em uma resolução mais elevada (1920x1200 pixels no desktop e 1920x1080 no notebook), mas isso não é algo que vá afetar tanto nossa compreensão dos fatos.

Tirando o fato de que estamos tratando de dois PCs com especificações bem diferentes — o que não nos permite dizer que o chip gráfico é o único responsável pela diminuição no desempenho —, esta é uma análise confiável (a configuração do jogo e os filtros usados foram os mesmos).

De acordo com esses resultados, a Radeon HD 7970 apresenta resultados 87% melhores do que o mesmo chip gráfico para notebooks. Neste outro teste, abaixo, registrado no site 3DMark, podemos conferir a comparação entre duas configurações em CrossFire (mostrando a superioridade da Radeon HD 7970 para desktops em relação ao chip voltado para notebooks).

(Fonte da imagem: Reprodução/3dmark)

(Fonte da imagem: Reprodução/3dmark)

Novamente, temos uma vantagem de 82% em desempenho nas placas de desktop. Nesse caso de benchmark, não há um número em fps que possa nos indicar se o desempenho no laptop é no mínimo satisfatório, mas como estamos tratando do teste Fire Strike, podemos ter quase certeza de que um notebook desse tipo mal dá conta de rodar o benchmark a 30 fps.

No caso dos chips da NVIDIA, os resultados também não são diferentes. Conforme os testes do site GPU Boss, a placa de vídeo GeForce GTX 780 para desktop é muito superior à GTX 780M para notebooks.

(Fonte da imagem: Reprodução/GPU Boss)

A página comprova que o teste com BioShock Infinite roda a 95,3 fps no desktop e apresenta uma taxa de quadros de 46,6 fps no notebook. Isso mostra que, na resolução de 1920x1080 pixels, o chip para desktops pode apresentar mais de 100% de vantagem (claro, lembrando que são máquinas distintas e que essa diferença não é apenas dependente do chip gráfico).

Por que o desempenho é limitado no notebook?

Bom, agora que você já viu o óbvio (e teve uma boa ideia da disparidade entre essas peças), podemos partir para a parte importante, afinal por que os chips gráficos para notebooks são tão limitados? O processador de vídeo não é pequeno suficiente para caber em um laptop?

Antes de qualquer coisa, é importante notar que não estamos tratando do mesmo chip gráfico. Apesar de levar o mesmo nome, o processador Radeon HD 7970M, de acordo com o site Tom’s Hardware, conta  com as mesmas características do chip Radeon HD 7870 para desktops.

(Fonte da imagem: Reprodução/worten)

Os notebooks possuem diversas limitações. Espaço físico, temperatura (e dissipação do calor), energia elétrica, frequências e muito mais. Todos esses inconvenientes acabam limitando a adição de componentes mais robustos.

E essas limitações resultam em clocks mais baixos, menor quantidade de processadores (Stream e CUDA) auxiliares, memória mais lenta, preenchimento de texturas reduzido e outros fatores que causam impacto direto na execução dos jogos.

Agora, temos mais uma dúvida: já que não é o mesmo chip gráfico, então por que ele recebe o mesmo nome de uma GPU que é mais robusta?

De acordo com a explicação de Roberto Brandão, diretor técnico da AMD, à Adrenaline, a ideia de usar o mesmo nome (no caso do AMD Radeon HD 7970 e Radeon HD 7970M) é facilitar a identificação da “potência do produto” para o consumidor. Tendo o referencial do topo de linha, o comprador tem uma noção das diferenças entre os produtos de uma mesma linha.

Por que um notebook gamer é tão caro?

Dito tudo isso, resta uma última dúvida: se o chip gráfico do notebook é mais simples (e apresenta desempenho inferior), por que ele acaba sendo tão caro? O primeiro fator que faz o valor ser aumentado consideravelmente é o desenvolvimento de um chip mais capacitado que possa ser usado em aparelhos finos e leves.

Se considerarmos que uma placa de vídeo, às vezes, pesa quase o mesmo que um notebook, podemos ter uma ideia de como é complicado (o que agrega valor) desenvolver uma tecnologia compacta e com peso reduzido.

(Fonte da imagem: Reprodução/Amazon)

Além disso, as soluções especiais (desenvolvimento de módulos de memória GDDR 5 e outros elementos essenciais para a placa de vídeo) para o funcionamento do chip gráfico, que muitas vezes fica embutido na placa-mãe, e a refrigeração do componente gráfico, que precisa ser eficiente, são outros fatores que fazem o chip gráfico de um notebook custar mais caro.

Pois é, como você pode ver, um notebook gamer acaba não sendo tão potente assim e dificilmente agrada aos jogadores que buscam o máximo em gráficos e portabilidade (eles geralmente pesam muito e não contam com baterias de autonomia exemplar). Esses laptops para jogos dão show em muito PC desktop, mas custam os olhos da cara.

Cupons de desconto TecMundo: